Curiosidades

Viajar deixa as pessoas muito mais felizes do que os bens materiais

dez, 04

Com o passar do tempo, nos preocupamos em guardar dinheiro para comprar itens que julgamos necessários, mas nada é melhor do que uma viagem depois de vários meses de trabalho ou estudo, não é mesmo?

Viajar nos proporciona momentos inesquecíveis. Além de conhecer lugares e culturas novas, ganhamos maturidade e confiança, “abrimos a mente” para novas possibilidades, aprendemos a eleger outras prioridades e a valorizar as experiências ao invés dos bens materiais.

iStockphoto.com / AntonioGuillem Quando viajamos, temos a chance de começar novos ciclos em nossas vidas.

O psicólogo Thomas Gilovich estudou a relação entre dinheiro e felicidade por duas décadas e comprovou que viajar traz mais felicidade do que adquirir bens materiais. Segundo sua pesquisa, as vantagens das experiências individuais ultrapassam as coisas que compramos.

Ele chegou a algumas conclusões sobre o tema. São elas:

• É muito difícil compararmos viagens, ao contrário de coisas.

Comparar experiências com bens materiais é uma tarefa complicada, mas neste quesito ousamos dizer que as viagens trazem mais benefícios duradouros do que objetos, pois nos lembramos das vivências por muito mais tempo, já que nenhuma viagem é igual a outra, e “enjoamos” das coisas mais rápido.

• Viajar aproxima as pessoas, as coisas nem sempre.

Independentemente se viajamos sozinhos ou acompanhados, sempre nos relacionamos mais com as outras pessoas no local em que estamos. A mudança de paisagem e rotina nos faz mudar um pouco nosso comportamento, ficamos mais abertos e dividimos mais experiências. Já no caso da aquisição de algum bem, isso nem sempre une as pessoas, até porque elas podem simplesmente comprar um artigo igual ao seu.

• Viajar abre a mente e muda nossa concepção de mundo.

Ter novas vivências já é motivo suficiente para considerarmos uma viagem uma ótima alternativa para repensarmos a vida. O contato com diferentes culturas, línguas, costumes, paisagens e pontos de vista nos faz mudar alguns conceitos que carregamos por muito tempo. Uma viagem ajuda a se libertar de vícios e comportamentos acomodados. As coisas não nos oferecem essa mesma perspectiva.

• A experiência de uma viagem permanece para sempre, já a compra de um objeto torna-se obsoleta com o tempo.

As lembranças e emoções de uma viagem permanecem para sempre, tanto na memória quanto nas fotos, e falar sobre essa experiência sempre trará sentimentos bons. Já as coisas, com o tempo, perdem aquele ar de “novidade”, viram mais um objeto até o dia em que compramos outro. “Compramos coisas, mas elas nos deixam felizes por pouco tempo. Novas coisas são empolgantes, mas depois nos adaptamos a elas”, afirma Thomas Gilovich.

• Aprendemos a cultivar o desapego.

Para quem está vivendo um momento difícil ou quer apenas sair da rotina, fazer uma viagem é uma ótima alternativa para se “refazer”. O costume que algumas pessoas têm de esquecer os problemas comprando em um shopping center não resolve o conflito, apenas vai amenizá-lo por um curto período de tempo. Além disso, em uma viagem aprendemos a viver somente com o necessário, sejam sentimentos ou objetos.

Segundo Thomas, a felicidade proporcionada por experiências próprias aumenta com o passar dos anos, posto que as vivências definem quem somos e ajudam a moldar nossa identidade. Portanto, viaje sempre e seja feliz!

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *