Skip to main content
search

Que parâmetros você teria em mente se te perguntassem o que pode ser considerado um frio extremo? Temperaturas de -10ºC? -20ºC? Sim, tais temperaturas de fato são rigorosas e podem causar desconforto corporal se não enfrentadas da maneira correta, mas o frio que veremos aqui hoje vai bem (bem!) além. 

Em alguns lugares do mundo, como Antártica, Groenlândia e Rússia, o inverno é extremamente severo. Na Antártica, por exemplo, só é possível permanecer durante os meses de verão e, por isso, sua população é transitória. Foi lá, inclusive, que a menor temperatura da Terra já foi registrada: -89,2ºC. Dá para imaginar?

Mas calma… embora esses e outros lugares tenham clima congelante, escolhendo a época certa e se preparando com roupas apropriadas, não somente é possível visitar, como também ter uma experiência incrível em meio às suas paisagens deslumbrantes. Quer saber quais os lugares mais frios do mundo?

Conheça 7 dos lugares mais gelados do planeta

1. Alasca: uma experiência congelante entre montanhas, florestas e vida selvagem

Pensou em Alasca, pensou em frio, certo? Sim… Esse estado americano sempre é listado como um dos lugares mais gelados do mundo.

Imagem do Parque Nacional Denali, Alasca

Utqiagvik, também chamada de Barrow, é a cidade mais ao norte do país, localizada acima do Círculo Polar Ártico. Com a temperatura média mais baixa entre as cidades do Alasca, acentuada pelos ventos extremos e frequentes, é preciso se preparar para visitar o destino, já que a temperatura pode chegar aos -25°C.

O local tem muito a oferecer, em especial a rica cultura Iñupiat, a beleza da tundra aos arredores e a oportunidade de avistar a encantadora Aurora Boreal. Porém, ainda que de lá seja possível observar as luzes do norte, vale dizer que em Fairbanks, também no Alasca, as chances são maiores.

2. Finlândia: também conhecida como a terra do Papai Noel 

A Finlândia, um dos países mais gelados da Europa, é um destino muito interessante para aqueles que desejam encarar o frio de verdade. No inverno, que se estende entre os meses de dezembro e março, as baixas temperaturas são bastante rigorosas, podendo atingir a marca de 50 graus negativos dependendo da região. 

Imagem da Aurora Boreal na Finlândia

Um dos grandes atrativos do país – talvez o maior deles – é a aparição da Aurora Boreal justamente nos meses mais gelados. Há roteiros específicos que têm como foco a caça às luzes do norte. Outras atrações da Finlândia que atraem visitantes de todas as partes do mundo são a Aldeia do Papai Noel, localizada na cidade de Rovaniemi, o “mushing”, que se refere à tradicional prática de transporte e passeio com cães Husky, e o contato com a cultura Sami.

3. Groenlândia: frio extremo registrado em Klinck

Em 1991, a Organização Meteorológica Mundial registrou a temperatura de -69,6°C em uma estação meteorológica automatizada em Klinck, na Groenlândia – temperatura essa que supera os -67,8°C de Oymyakon, cidade russa da qual falaremos mais adiante.

Imagem do Ártico: Aventura na Groenlândia by Quark Expeditions, um dos lugares mais frios do mundo.

Apesar de ter sido um caso isolado, a temperatura média deste país é bastante severa: -35°C. Com grande parte de sua superfície terrestre coberta de gelo e localização no extremo norte, com partes acima do Círculo Polar Ártico, não é de estranhar o fato de o país aparecer na lista de destinos mais frios do mundo. Entre os atrativos, destaque para os fenômenos naturais Sol da meia-noite, que acontece no verão, e a Aurora Boreal, que ocorre no inverno. 

4. Canadá: em especial, o gelado vilarejo de Snag 

Na lista dos destinos mais frios do mundo, e também de países que nevam que mais valem a pena conhecer, é claro que o Canadá não poderia ficar de fora. Cidades como Toronto, Calgary, Montreal, Winnipeg e Ottawa têm temperaturas que chegam facilmente na casa dos 30 graus negativos no inverno; sendo ótimas recomendações para aqueles que desejam apreciar paisagens branquinhas e atividades de neve.  

Mas se existe um lugar em especial no país onde o frio predomina, esse local é Snag, uma vila que se encontra a poucos quilômetros ao sul de Beaver Creek, Yukon. Em 1947, o vilarejo, circundado por montanhas, geleiras e vida selvagem em abundância, ganhou o título de cidade com a menor temperatura da América do Norte, com o registro de surpreendentes -63°C.

5. Mongólia: Ulan Bator, a capital mais fria do mundo

A Mongólia sempre aparece na lista de lugares mais frios do mundo com a sua capital, Ulan Bator – praticamente a única cidade do país e a principal base para quem deseja conhecer os atrativos turísticos e as tradições culturais de seu povo nômade ou seminômade.

Imagem da Mongólia: Ulan Bator, a capital mais fria do mundo

Devido à grande altitude, nos meses de inverno, a cidade apresenta temperaturas entre 30 e 40 graus negativos, o que faz com que lagos, rios e até mesmo o solo permaneçam congelados por boa parte do ano. Por isso, quem deseja viajar para a Mongólia deve dar preferência para os meses de verão, que vão de julho e outubro, e descartar o período de inverno, que, de tão rigoroso, pode vir acompanhado até mesmo de tempestades de neve.

6. Rússia: uma, duas, três (e mais) cidades extremamente geladas

Na Rússia, encontram-se alguns dos lugares mais congelantes do mundo; dentre eles, a cidade de Oymyakon – frequentemente apontada como a mais fria do planeta. No inverno, os termômetros marcam, em média, -45ºC, mas a temperatura já chegou a atingir -67,8°C em 1933. Embora com condições climáticas extremamente severas, o vilarejo tem habitantes permanentes, ainda que não muitos. 

Outras duas cidades russas que costumam se destacar pelas baixíssimas temperaturas são Yakutsk, que já registrou a marca dos -64,5°C, e Verkhoyansk, que aparece logo atrás de Oymyakon na disputa de cidades mais frias do mundo. Isolada e gelada, Verkhoyansk não costuma atrair muitos turistas, embora conte com centros culturais e museus bastante interessantes.

7. Antártica: um território inóspito e congelante

Encerrando a nossa lista de lugares mais frios do mundo, temos aqui o mais congelante de todos: a Antártica. Praticamente coberto de gelo e com condições climáticas extremamente duras, esse continente no extremo sul do planeta só é habitável no verão. Sua população, dessa forma transitória, é composta por cientistas, militares e o pessoal da base. 

Imagem da M/V Ushuaia: Cruzeiro na Antártica

Além de trabalhos científicos, a região desperta muito interesse no campo do turismo. Viajantes aventureiros, que buscam cenários inóspitos, experiências diferentes e contato profundo com a natureza podem desbravar a Antártica entre os meses de novembro a começo de março, quando acontecem as saídas em cruzeiros. Nessas expedições, tanto de dentro do navio quanto nos desembarques, o visitante pode observar geleiras, icebergs e a fauna local, composta, principalmente, por pinguins, baleias, focas e elefantes-marinhos.

E aí, você encararia uma viagem para algum desses destinos gelados?

Nossa diretora, Eliane Leite, recentemente fez uma viagem ao Ártico e compartilhou aqui no nosso blog como foi a experiência: Uma aventura pelo Ártico, no extremo norte do Planeta.

Nossa diretora, Eliane Leite, em uma viagem pelo Ártico, um dos lugares mais frios do mundo

Se você tem vontade de conhecer destinos de frio e de neve, não necessariamente esses que aparecem na lista, não deixe de entrar em contato com a nossa equipe. Somos especialistas em destinos de natureza, locais inóspitos e experiências diferentes. Será um prazer te atender e te ajudar nesse planejamento!

4 Comentários

  • Jose Claudio Barbudo disse:

    Sensacional, estou acabo de chegar dos Altais Mongólia e já estou articulando Svalbard ainda esse ano mas Antártida pra 2024 esta no meu radar

  • Luiz Alberto disse:

    Viajei para Europa em pleno mês de Fevereiro, achei muito interessante o frio na Holanda a neve na Suiça e nos Alpes.
    O Carnaval , deles, em noites congelantes. Sempre sugerem que devemos ir a Europa no Verão. Porem também o
    Velho mundo deve ser visitado no inverno, principalmente para brasileiros que residem na região norte do Brasil.
    Também fui a Vancouver, passei 12 dias, em janeiro, e o Sol não apareceu , foram dias frios, cinzentos e geralmente
    chovendo.

Deixe um comentário

Close Menu