Blog / Experiências

Bike & Trekking na Jordânia

abr, 15

Confesso que sempre tive curiosidade de conhecer a cultura e os costumes nos países do Oriente Médio. Então fui para a Jordânia e depois atravessei por terra a fronteira com a Palestina (um capítulo à parte, que vou falar depois). A referência que tinha era do que a mídia sensacionalista divulga (raramente algo positivo) e de turistas que foram para lá mas em roteiros clássicos e religiosos, que se amontavam em filas por horas para tirar fotos e tocar nos monumentos sagrados.

Mas com certeza este não é meu perfil. Sempre fui muito ativa e de fazer as coisas independente. Adoro atividades ao ar livre como trekking, escalada, mountain biking e mergulho em meio a paisagens que surpreendem. E não é que a Jordânia tem tudo isso!! E a parte da cultura que comentei? Sim, fiquei acampada com os beduínos, pude ouvir histórias reais de suas famílias e dicas para sobreviver no deserto. Na capital Amman, conversei com crianças que brincavam nas ruas, a maioria das pessoas falam também o inglês, todos muitos solícitos para nos ajudar e curiosos em saber de onde víamos.

A Jordânia entre os outros países do Oriente Médio é a mais moderada, aberta ao turismo e as mulheres não precisam nem cobrir os cabelos ou seguir regras mais rígidas de vestimenta. A moeda Dinar Jordaniano é bem forte, e por exemplo US$ 100.00 equivale mais ou menos a JOD 70.00. Mas os serviços e produtos tem seu valor agregado. Uma refeição completa sai por 9-10JD, água 0,70 JD. Só tome cuidado com o taxi, eles nunca “têm troco” ou nem sempre honram o valor negociado que varia entre 6JD a 15JD (sempre negocie a corrida antes e procure ter valor trocado). Em Amman também pode usar o Uber.

E a comida? Os vegetarianos vão se sair muito bem, lembrando que tem muito mais condimento e eles adoram uma pimenta. Os carnívoros devem se acostumar com a carne de cordeiro e seus temperos. Tudo é muito farto, com os tradicionais acompanhamentos como homus (a base de grão de bico e tahine), iogurte, babaganuche (a base da berinjela) esaladas.

Se tiver um tempinho em Amman, pode conhecer, a Cidadela, o Templo de Hercules e o Anfiteatro Romano. Dá para visitar caminhando em uma manhã, exatamente nesta ordem começando pela parte alta (o JORDAN PASS que custa 70JD inclui entradas nos principais sítios arqueológicos, como Petra). As distâncias na Jordânia não são tão longas. Do norte ao sul, pode percorrer entre 6 a 7 horas de carro (sem considerar o trânsito em Amman que é bem complicado). Então seguimos para a Reserva de Dana, a umas 3 horas da capital. A reserva de 308Km é repleta de vales e montanhas, desde o vale Rift até as planícies do deserto de Wadi Araba. A vila principal é bem simples mas a reserva abriga acampamento em tendas, o Feynan Ecolodge 100% sustentável e até glampings estilo bolhas (bubble).



Pedalando entre Dana e Little Petra

A paisagem compensa o esforço. Com uma variação de solo entre pedra e areia, a trilha pela encosta exige experiência com subidas e descidas, algumas longas, outras mais acidentadas em um pedal de 2 a 3 horas. Mas se cansar, tem carro de apoio.

Acampando em Little Petra
Nosso primeiro acampamento no deserto, já nos brinda com um lindo pôr do sol e um céu estrelado. Nada de conforto, a não ser que as barracas eram individuais já com os sleeping bags prontos para nos aquecer. O deserto tem uma atmosfera quase sagrada e todos apreciam o lugar em silêncio, respeitando e agradecendo por estar ali.

Trekking e chegada pela Portal Posterior de Petra
Esta é uma caminhada linda e o trajeto vai no contra fluxo de turistas, porque chega pela parte oposta à entrada principal de Petra, além de ser uma descida ao chegar na parte dos degraus. Saindo do acampamento, caminhamos por 5 a 6 horas, até chegar ao primeiro monumento conhecido Monastério (Monastery ou El Deir). Petra foi habitada pelos Nabateus, considerados os ancestrais dos árabes, passou pelas mãos de romanos, bizantinos e sofreu ainda 2 terremotos. Entrar no contra-fluxo não impede que possa tirar a clássica foto da entrada do principal monumento conhecido como Tesouro (Treasury).

Bike de Raijif a Vila de Delagha (4 a 5 horas)
Incrível pedalar em meio ao deserto. Pegamos vias pavimentadas, trilhas longas de areia e pedra, e o terreno foi ficando cada vez mais difícil para tracionar. Diferente da região de Dana, aqui é mais plano, mas o terreno exige mais das pernas já que na areia mais fofa, cada pedalada não rende muito. Ainda assim, vale a pena.

Wadi Rum – Acampando com os beduínos
Wadi quer dizer vale, então o Vale de Rum, também conhecido como Vale da Lua, talvez por suas formações rochosas, é um dos lugares imperdíveis para quem gosta de trekking e formações rochosas. Aqui ficamos em tendas bem espaçosas, algumas com até 5 camas. O banheiro tem chuveiro, mas a água é fria. Aliás água no deserto deve ser tratada com seriedade. Há beduínos que levam até 2 semanas para encontrar água para uso pessoal. Aqui nos recepcionaram com o tradicional prato beduíno “zarb”, são legumes e carnes cozidos com o calor do carvão debaixo da areia.

Wadi Rum – Trekking
Esta semana o clima estava um tanto atípico e algumas regiões do deserto teve chuva de granizo. As noites foram frias, mas cobertores e sacos de dormir ajudaram a dar mais conforto. Como havia chuva prevista para uma região, mudamos a programação e não perdemos nada em termos de paisagem e “escalaminhada”. Aliás hora parecia o Grand Canyon, por outras os parques de Utah com seus arcos. Ainda deu para fazer 3 trekkings por regiões diferentes.

Aqaba – Mar Vermelho

Desta vez não deu para mergulhar pela falta de tempo, mas o Mar Vermelho é um clássico para os mergulhadores de plantão. Mesmo que não mergulha, dá para fazer snorkelling ou curtir os corais da superfície já que a visibilidade é boa. A cidade é bem praiana, cafés e restaurantes na calçada, dá para ficar caminhando e tem de tudo. De redes de fast food a restaurantes de frutos do mar.

Yahala (uma expressão árabe bem comum, quer dizer “ Vamos !!”)
Próximo post, Palestina – Uma imersão cultural. Aguardem!

Mayumi Taquista, gestora de produtos da Adventure Club, viajou a convite da Jordan Tourism Board para o evento de aventura NextNear East Jordan e compartilha aqui sua experiência. 

 

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Você também pode gostar de ler