Bike
Pedalando de Mandalay a Bagan – 6 Dias – Até Dezembro de 2017

Detalhes inicio

Período: Até Dezembro de 2017
Saídas: Diárias
Valores incluem: Parte Terrestre (Consulte a Parte Aérea)

Legenda para refeições: C – café da manhã / A – almoço / J – jantar

1º dia – YANGON – Pernoite em Yangon.
2º dia – YANGON / MANDALAY (C) – Passeio de meio dia por Yangon, visitando a Sule Pagoda, o Parque Kandawgyi e a Barca Real Karaweik e a Shwedagon Pagoda. Voo Yangon / Mandalay (não incluso). Pernoite em Mandalay.
3º dia – MANDALAY – MONYWA (C,A,J) – Passeio em bicicleta até a cidade de Monywa passando pelo Vale Chindwin e pequenas vilas. Visita à Laykyun Setkyar e ao templo Mohnyin Thambuddhei Paya. Pernoite em Monywa.
4º dia – MONYWA – PAKOKKU – BAGAN (C,A,J) – Passeio em bicicleta até as vilas A Myint e A Neint com visita à pagodas. Passeio em charrete pelos templos em Bagan. Pernoite em Bagan.
5º dia – BAGAN (C,A,J) – Passeio de meio dia em bicicleta pelos templos de Bagan, visitando a Pagoda Dhamma-ya-za-ka, o Templo Dhammayangyi, Wetkyi-In Gubyaukgyi, Pagoda Shwezigon, Templo Sulamani, Bagan Antiga, vilas Wetkyi-In e Taung Bi, Templo Htilominlo e Templo Thatbyinyu. Visita a uma loja de laca e por do sol em um templo. Pernoite em Bagan.
6º dia – BAGAN (C)

ROTEIRO DETALHADO

1º dia – YANGON – Chegada em Yangon, recepção e traslado ao hotel e pernoite.
* Yangon: Seu nome significa “cidade sem inimigo”, do yan, inimigos, e koun, livrar-se de,fugir de. É a principal porta de entrada e capital de Myanmar. Apesar de a população girar em torno de 5 milhões de habitantes, ser a maior cidade do país e o mais importante centro comercial, passa uma impressão diferente de outras capitais da Ásia de tamanho similar. Bem arborizada, exala um ar mais provençal do que de cidade internacional.

2º dia – YANGON / MANDALAY (C) – Passeio de meio dia por Yangon, visitando a Sule Pagoda, o Parque Kandawgyi e a Barca Real Karaweik e a Shwedagon Pagoda. Traslado ao aeroporto para embarque com destino à Mandalay. Chegada, recepção e traslado ao hotel. Pernoite em Mandalay.
* Sule Pagoda: Marca o centro da cidade e ocupa um papel importante na política, ideologia e geografia do país. De acordo com a lenda, foi construída antes da Pagoda Shwe Dagon, na era de Buda, há mais de 2.500 anos. Ainda conforme a lenda, o local da pagoda Shwe Dagon deveria ser revelado por um espírito que residia no local onde hoje é a Sule Pagoda.
* Parque Kandawgyi: muito frequentado pelos moradores para lazer. A área do jardim é de 110 acres, área de águas 150 acres, totalizando 260 acres. É possível encontrar uma grande variedade de flores, inclusive um jardim de orquídeas, um mini zoológico, restaurantes e lojas de souvenirs. Kandawgyi significa “o grande lago”.
* Barca Real Karaweik: é um palácio em forma de barca localizado na margem leste do lago Kandawgyi. Foi desenhada pelo arquiteto U Ngwe Hlaing. A construção teve início em Junho de 1972 e terminou em Outubro de 1974. Possui 2 espaços para eventos e abriga hoje um restaurante.
* Shwedagon Pagoda: As torres históricas têm quase 98 metros de altura. É considerada uma das maravilhas do mundo religioso e acredita-se ter sido construída há 2500 anos. É coberta com centenas de placas de ouro; o topo tem 4531 diamantes incrustados, sendo o maior com 76 quilates.
* Mandalay: A última capital do Império de Myanmar / Burmese, Mandalay está situada no centro de Myanmar a 668km de Yangon. É a maior cidade depois de Yangon e é tanto um importante centro comercial como um repositório da cultura anciã. Com resquícios da antiga cidade real com inúmeros monastérios, Mandalay é um mostruário da arte e da arquitetura de Myanmar do século 19. É famosa também pelas esculturas em madeira, prataria, tapeçaria, tecidos de seda e outros produtos artesanais.

3º dia – MANDALAY – MONYWA (C,A,J) – Traslado (2 horas) à Myin-Mu para início do passeio em bicicleta até a cidade de Monywa. Durante o trajeto, passagem pelo Vale Chindwin com plantações de laranja e cana de açúcar e paradas em pequenas vilas para interagir com os moradores locais. Parada para almoço em restaurante local. Visita à Laykyun Setkyar, onde está a maior estátua de Buda em pé do Myanmar. Antes da chegada à Monywa, visita ao templo Mohnyin Thambuddhei Paya. Chegada na cidade de Monywa e acomodação no hotel. O jantar será em um restaurante local de Monywa. Pernoite em Monywa.
Distância em bicicleta: 76km, nível médio.
* Vale Chindwin: O vale é um planalto com florestas e elevadas montanhas. Kelewa, Mawleik, Phaungbyin, Homalin, Thamanti, khamti são vilas que estão no vale Chindwin e que são conhecidas pelas casas de bambu. As culturas dos habitantes são autênticas e bem preservadas por estarem mais isolados. Vivem de forma simples, mas cheios de boa vontade e humor com os estrangeiros e entre eles.
* Laykyun Setkyar: Laykyun Setkyar é a segunda estátua mais alta do mundo com 116 metros de altura. Esta estátua de Sidarta Gautama está sobre um trono de 13,5 metros, localizada na aldeia de Khatakan Taung. A construção começou em 1996 e foi concluída em 21 de fevereiro de 2008. Foi construída pelo Abade Superior Ven Narada, que morreu em 22 de novembro de 2006.
* Mohnyin Thambuddhei Paya: O complexo que inclui o tempo data de 1303 e foi reconstruído em 1939. Abriga mais de 500.000 estátuas de Buda.
* Monywa: A cidade está nas margens do rio Chindwin, a 136km de Mandalay. Por conta das indústrias que circundam a cidade, tem uma atmosfera mais dinâmica comparada a outras cidades centrais do Myanmar: é agradável caminhar pelas margens do rio, há mercados cheios de energia e a rua principal fica bem agitada a noite com barracas de comida e estações de cerveja.

4º dia – MONYWA – PAKOKKU – BAGAN (C,A,J) – Após café da manhã, saída em bicicleta sentido sul pelas margens do Rio Irrawaddy até as vilas A Myint e A Neint para interação com os locais e visita à pagodas. Continuação à Yesagyo e traslado (2 horas) em carro até o hotel em Bagan, com parada na vila de Pakokku para almoço. No fim da tarde, saída para passeio em charrete até a área dos templos, passando por monumentos, campos e casas. Subida em um templo elevado para ver o por do sol. O jantar será em um restaurante local. Pernoite em Bagan.
Distância em bicicleta: 66km, nível médio.
* Rio Irrawaddy: É o maior rio de Myanmar e também a principal rota marítima comercial do país. Corre de norte a sul antes de desaguar no Delta de Irrawaddy e depois no Mar de Andaman
* A Myint e A Neint: Pouco visitadas por turistas, as vilas ficam próximas ao rio Chindwin e abrigam inúmeras pagodas em diferentes estágios de ruínas.
* Pakokku: É uma cidade amigável famosa pela produção de tabaco e thanakha (cosmético usado para proteção solar). Um dos maiores festivais da cidade é o Thihoshin que acontece durante Maio e Junho.
* Bagan: Conhecida como a cidade das 4 milhões de pagodas, Bagan é um dos sítios arqueológicos mais ricos da Ásia. É possível encontrar mais de 2000 pagodas, templos e monastérios construídos durante a dinastia Bagan. A cidade pode ser descrita como surpreendente e encantadora, onde os visitantes experimentam a essência de Myanmar em um local ainda não afetado pelo século 21. Bagan não é só famosa pelas pagodas, mas também pelos artefatos produzidos em laca.

5º dia – BAGAN (C,A,J) – Saída para passeio de meio dia em bicicleta pelos templos de Bagan, visitando a Pagoda Dhamma-ya-za-ka, o Templo Dhammayangyi, Wetkyi-In Gubyaukgyi, Pagoda Shwezigon e Templo Sulamani. Continuação em bicicleta pela Bagan Antiga, passando pelas vilas Wetkyi-In e Taung Bi. Durante o percurso é possível avistar o Templo Htilominlo e, finalmente, o Templo Thatbyinyu. Após almoço em restaurante local, retorno ao hotel para descanso. À tarde, visita a uma loja de laca e observação do por do sol do topo de um templo. Retorno ao hotel e pernoite em Bagan.
Obs: Nesse dia não há carro de apoio devido ao tamanho de Bagan. Uma motocicleta irá acompanhar o grupo com o suporte necessário.
Distância em bicicleta: 27km, nível fácil.
* Pagoda Dhamma-ya-za-ka: É um templo budista que foi construído em 1196 durante o reinado do Rei Narapatisithu. A pagoda é circular e feita de tijolos. Seus três terraços contem azulejos de terra cota ilustrando cenas da Jataka (histórias sobre as vidas de Buda originários da Índia).
* Templo Dhammayangyi: Maior templo de Bagan, o Dhammayangyi foi construído durante o reinado do Rei Narathu (1167-1170). Presume-se que Narathu, que chegou ao trono após assassinar seu pai e irmão mais velho, construiu o templo para reparar de seus pecados.
* Templo Gubyaukgyi: O templo foi construído em 1113 pelo filho do Rei Kyanzittha, o príncipe Rajakumar, logo após a morte de seu pai. Rajakumar era o único herdeiro do trono de Bagan, porém Kyanzittha designou seu neto Alaungsithu como herdeiro e Rajakumar renunciou seu direito.
* Pagoda Shwezigon: Templo budista localizado em Nyaung-U. Um protótipo das stupas birmanesas, a pagoda consiste de uma stupa dourada circular coberta de folhas de ouro cercada de outros templos e santuários menores. A construção da pagoda teve início durante o reinado do Rei Anawrahta, que foi o fundador da Dinastia Pagan, em 1059-1060 e foi concluída em 1102 dC, durante o reinado de seu filho, o Rei Kyansittha. A pagoda foi danificada diversas vezes ao longo dos séculos devido a terremotos e outros fatores naturais e foi renovada diversas vezes. Acredita-se que a pagoda guarda um osso e um dente de Gautama Buda.
* Templo Sulamani: O templo foi construído em 1181 por Narapatisithu (1174-1211). O templo era conhecido como “joia de coroação” e fica além da Pagoda Dhammayangyi. Esse templo é mais sofisticado do que os templos Htilominlo e Gawdawpalin. Algumas partes do templo foram danificadas após um terremoto em 1975. Sulamani representa algumas das melhores artes ornamentais que são estuque esculpido em molduras, frontões e pilastras, ainda bem preservados.
* Templo Htilominlo: Templo budista construído em 1218 durante o reinado do Rei Htilominlo (também conhecido como Nandaungmya), 1211-1231. O templo de 3 andares tem 46 metros de altura e foi construído com tijolos vermelhos. É conhecido também pelas elaboradas molduras em gesso. Foi o último templo no estilo birmanês a ser construído em Bagan. O nome é uma leitura errada da palavra Pali para “Benção dos Três Mundos”. O rei Nantaungmya ergueu o templo neste local, pois foi onde foi o escolhido entre 5 irmãos para ser o príncipe coroado. A escolha do herdeiro do trono tinha uma tradição que era erguer um guarda-chuva branco e o futuro governante seria escolhido quando o guarda-chuva apontasse em sua direção.
* Templo Thatbyinyu: Elevando-se acima dos outros monumentos de Bagan, o Thatbyinnyu recebe esse nome da Omnisciência de Buda. Thatbyinnyutanyan na língua birmanesa, Sabbannutanana em Pali, Omnisciência – tem uma explicação que vai além nas inscrições contemporâneas, que é “conhecendo profundamente e enxergando amplamente”. Construído pelo Rei Alaungsithu (1113-1163), o Thatbyinnyu é um templo transitório, mantendo-se entre o estilo inicial do templo Ananda e o estilo mais recente do templo Gawdawpalin.

6º dia – BAGAN (C) – Traslado ao aeroporto de Bagan.

O ROTEIRO PODERÁ SER ALTERADO DE ACORDO COM CONDIÇÕES CLIMÁTICAS E/OU POR MOTIVOS ALHEIOS A NOSSA VONTADE.

VALORES POR PESSOA EM US$

Terrestre a partir de Yangon

Opções de Acomodação

Duplo

Single

Conforme roteiro

2040.00

2690.00

Preços em dólar, por pessoa, válidos para estadia até Dezembro 2017 (exceto feriados locais).
Preços sujeitos a alteração sem aviso prévio.
Preços calculados para saídas com mínimo de 2 pessoas.
Todos os preços serão convertidos para o Real utilizando câmbio do dia do pagamento.

OS VALORES E DISPONIBILIDADES DOS PROGRAMAS CONTIDOS NESTE SITE DA ADVENTURE CLUB ESTÃO SUJEITOS A ALTERAÇÕES. (8)

O que Inclui:
– traslados privativos compartilhados para todos os nossos clientes;
– hospedagem com café da manhã;
– todos os passeios citados em serviço privativo com acompanhamento de guia de língua inglesa de cada cidade, taxas e transporte quando necessário;
– bicicleta com garrafa de água e capacete;
– carro ou motocicleta de apoio;
– refeições mencionadas no roteiro, incluindo frutas e petiscos nos dias de bicicleta;
– seguro viagem;
– brinde exclusivo.

Não Inclui:
– Imposto de renda referente a remessas ao exterior (Deve ser pago juntamente com a entrada da viagem);
– passagem aérea doméstica com cias locais, incluindo taxas de embarque;
– taxa aeroportuária em Myanmar, paga na saída do país (atualmente U$ 10,00);
– visto de entrada em Myanmar;
– refeições e bebidas não mencionadas;
– despesas pessoais;

Hospedagem:
YANGON
Sule Shangri-La Hotel (Deluxe) – www.shangri-la.com/yangon/suleshangrila
Check in: 14h00 / Check out: 12h00
MANDALAY
Mandalay Hill Resort (superior) – www.mandalayhillresorthotel.com
Check in: 14h00 / Check out: 12h00
MONYWA
Win Unity (deluxe) – http://winunityhotels.com/monywa_home.html
Check in: 14h00 / Check out: 12h00
BAGAN
Thiripyitsaya Sanctuary Resort (deluxe) – www.thiripyitsaya-resort.com
Check in: 14h00 / Check out: 12h00
*** Consulte nosso atendimento caso haja interesse por outras categorias de quartos nos hotéis.

Transporte:
Trechos aéreos domésticos com Cias locais em horários a confirmar no ato da sua reserva:
*Franquia: 01 bagagem com 20 Kg por pessoa, além de 01 mala de mão com 5Kg.

Informações úteis:
Documentos necessários para embarque: Passaporte com validade mínima de 6 meses contados a partir da data de chegada no país, com mínimo de 3 folhas em branco, lado a lado (ainda assim alguns países exigem um maior número de folhas em branco).
Vacinas necessárias: É obrigatória a apresentação do cartão de vacinação internacional contra a febre amarela válida. A vacina deve ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência da data de saída da viagem. Como a vacina pode causar reações, consulte o seu médico antes de se vacinar.
Visto: É obrigatória a obtenção de visto o Myanmar. Informe-se sobre o procedimento para a obtenção do visto eletrônico no site https://evisa.moip.gov.mm/ ou com nossos consultores (valor aproximado USD 50,00).
***Não nos responsabilizamos pela obtenção dos vistos. A autorização ou não autorização para entrada em cada país é determinada pelos órgãos responsáveis, ficando a critério dos mesmos a aceitação ou não da sua documentação

Parcelamento em cheques: 5 x sem juros
(Não aceitamos cheques de terceiros ou de pessoa jurídica; Não aceitamos cheques de contas com menos de 6 meses da abertura)

Parcelamento em cartão de crédito:
Visa ou Mastercard: 40% entrada em cheque ou dinheiro + 3 parcelas iguais no cartão
Amex: 40% entrada em cheque ou dinheiro + 2 parcelas iguais no cartão
*cartões devem ser de pessoa física e emitidos no Brasil.
*a primeira parcela do cartão será debitada na data da sua próxima fatura.

VALORES POR PESSOA EM US$

Serviços adicionais

Serviços

Duplo

Single

Cia local – Aéreo Yangon / Mandalay

125.00

125.00

Cia local – Aéreo Bagan / Yangon

120.00

120.00

Você também pode gostar