Pantanal

Roteiros inicio

Uma mostra permanente do renascimento da vida

De dezembro a março, água por todos os lados, fauna e flora revigoradas, borboletas colorindo aqui e ali e o pôr do sol mais bonito do ano. Estação exuberante, que deixa claro porque o Pantanal é uma das maiores planícies alagáveis do planeta. Nos três meses seguintes, hora de o nível da água começar a baixar à medida que a chuva fica escassa. Mamíferos que fugiram das cheias começam a voltar e os lagos e as poças remanescentes viram abrigo para peixes que, facilmente, tornam-se alimento de aves aquáticas. De julho a outubro, a vida selvagem se apresenta sem reservas. Os campos secos revelam planícies onde os animais podem passar os dias e matar a fome sem dificuldade. É também a época de reprodução das aves que, por isso, cantam e encantam ainda mais. Em novembro, o ciclo de vida pantaneiro se reinicia, com muita, muita chuva, a fim de preparar este Patrimônio Natural da Humanidade e Reserva da Biosfera para mais uma estação das águas. E neste movimento ininterrupto, o destino se reinventa, renasce e transforma tudo e todos.