Pacote de viagem para
Irã

Melhor época Entre Março a Maio e Setembro e Outubro
Permânencia 10 Dias
Roteiros inicio

O maior império do mundo antigo, a invasão árabe, os tapetes, a suntuosidade da dinastia Pahlavi (mais conhecido como os Xás) e a revolução islâmica. Polêmico e intrigante o Irã ainda desperta em muitos a imagem da guerra ou do terror. Muito, mas muito longe disso é um lugar de muita poesia, de extrema receptividade do seu povo e de uma história de riqueza e poder que atravessou 2.500 anos e ainda hoje se mantém viva.

O Irã está localizado no Sudoeste da Ásia, entre o mar Cáspio e o golfo Pérsico, e é o segundo maior produtor de petróleo da região. Em 1935 o governo iraniano solicitou aos governos estrangeiros que passassem a chamá-lo de Irã e não de Pérsia, como as nações ocidentais o designavam.

Viajar para o Irã é conhecer a fundo um país que possui um povo fascinante, que conserva antigas e sofisticadas tradições, apesar de ter também uma imagem negativa no cenário internacional, por conta da longa guerra contra o Iraque (1980 – 1988), ao fanatismo sectário, agravado depois da revolução islâmica de 1979, que levou ao poder o aiatolá Ruhollah Khomeini (1902-1989), e ao seu programa nuclear.
À medida que se visitam cidades como Esfahan ou Tabriz, nos Montes Zagros, ou os desertos de Kerman, um Irã desconhecido vai se revelando. Trata-se de um país onde a herança dos antigos persas convive com a dinamicidade de cidades como Teerã.

Melhor Época de Viagem para o Irã

Entre março a maio e setembro e outubro, é a melhor época e alta temporada. O clima é agradável. Atente-se somente ao ano novo persa, que é no inicio da primavera, onde tudo fica fechado e o país fica lotado.
De junho a outubro é média temporada, porém atente-se para os meses de julho e agosto, onde é verão e o clima é bem quente, sendo difícil acompanhar os passeios ao ar livre.
De novembro a fevereiro as temperaturas são mais baixas, podendo inclusive nevar. A boa notícia é que há menos turistas.
Vale lembrar que é um país extenso, e portanto, em uma mesma viagem você poderá pegar temperaturas variadas.

SOBRE O RAMADÃ
Atente-se ao Ramadã, mês de jejum dos muçulmanos, pois pode complicar o dia a dia, com horários diferentes e restrições. A data muda todo ano!

CAPITAL: Teerã
MOEDA: Rial Iraniano (IRR)
IDIOMA: Persa
RELIGIÃO: Islamismo
FUSO HORÁRIO: +7 horas em relação à Brasília
PRINCIPAIS CIDADES: Shiraz, Isfahan, Yazd e Teerã.

COMO CHEGAR:
Não há voos diretos entre o Brasil e o Irã e a melhor forma de chegar é por Teerã, que tem voos de diversas partes da Europa ou Emirados Árabes e Turquia. A cidades de Isfahan e Shiraz também possuem aeroportos internacionais, com voos para Istambul por exemplo.
O Irã é um país grande e é importante ter cerca de 10 dias disponíveis para sua viagem para conhecê-lo da melhor forma.

DICAS DE VIAGEM

Religião:
Ao contrário de outros lugares do mundo, onde a religião só interfere na sua vida turística quando você visita um templo ou cruza com uma pessoa religiosa na rua, no Irã a religião afeta o seu dia a dia o tempo inteiro
A razão é simples e bem conhecida: as leis do país são baseadas na interpretação xiita do Alcorão, o livro sagrado dos muçulmanos, e a maioria da população segue a religião.

Gastronomia: A culinária do Irã vem do Império Persa e é influenciada pela diversidade de grupos étnicos e de outras culturas vizinhas. A cozinha persa é basicamente composta por arroz, pão e verduras frescas, mas também há uma grande variedade de sopas. No preparo, utilizam diferentes ingredientes como: açafrão, cebola, pistache, caviar, lentilhas, macarrões, iogurte, frutas secas, etc. Um dos pratos mais famosos da região é o Kebab, espeto de carne servido com arroz e tomate assado. Outros pratos típicos da região são: o Abgusht (ou Dizi), um ensopado de carne de cordeiro e grão de bico; o Tah Chin, feito principalmente com arroz, iogurte, açafrão e frango e o Fesenjan, que é um ensopado com carne, molho de romã com nozes e cebola. Apesar dos pratos iranianos serem compostos por carnes, os vegetarianos conseguem achar variações dos pratos apenas com arroz e verduras, sem as carnes.

Cultura: Também conhecida como Antiga Pérsia, o Irã se tornou um país islâmico devido à conquista dos árabes no século VII d.C. Por ser uma das civilizações mais antigas do mundo, carrega muitas histórias e culturas. E essas histórias e culturas influenciam a arquitetura, arte, literatura, artesanato e gastronomia. É difícil definir um tipo de arte e cultura iraniana, pois durante toda sua história, com várias conquistas de civilizações diferentes, sua cultura foi se modificando. Porém é possível perceber o uso de muitas pedras coloridas, tetos enormes e suas habilidades de construção desde o começo de sua história. Com o aparecimento do Islão, o artesanato, literatura e tecidos ganham muito mais evidência. Os tapetes iranianos ou tapetes persas são muito famosos mundialmente por serem feitos de modo artesanal, pelas suas cores vivas, excelente qualidade e são considerados itens de luxo.

Saúde e Segurança: Ao contrário de que todo mundo pensa, o Irã é um país bastante seguro. Os iranianos são hospitaleiros e todos os viajantes são bem recebidos, independente de sua etnia, religião e nacionalidade. Apesar de toda essa segurança, é sempre bom ficar atento aos seus pertences. Mantenha os objetos de valor sempre com você. Não é comum haver cofres nos hotéis.
O Irã possui uma um sistema de saneamento básico muito melhor do que se imagina. A água da torneira é tratada e quase não se vê esgoto a céu aberto. O sistema hospitalar é de boa qualidade nas grandes cidades como Teerã, Shiraz e Esfahan. Mesmo assim aconselhamos tomar cuidado com os locais escolhidos para comer e sempre procurar beber água engarrafada para evitar problemas durante a viagem

Visto:
O visto é obrigatório e pode ser providenciado localmente. Para obter o visto na chegada ao Irã, os requerimentos são:
– Passaporte válido por pelo menos 6 meses;
– Foto 3×4 recente com fundo branco (não é necessário usar véu);
– Reserva de hotel ou carta convite do seu anfitrião constando endereço;
– Seguro viagem;
– Passagem de saída (dentro de um período de 30 dias, que é a validade do visto).
Se estiver tudo certo, basta seguir os seguintes passos:
1) Preencha o formulário do visto com os dados solicitados;
2) Pague a taxa do visto de USD 80, que pode ser pago em outras moedas. O valor
pode variar de acordo com a nacionalidade.
3) Dirija-se ao guichê do visto.

Vacinas: Orientações ao Viajante: É importante conhecer, com antecedência da sua viagem, os cuidados que devem ser tomados com a saúde. Recomendamos acessar o site da ANVISA onde poderá encontrar mais informações no portal do viajante para todo Brasil: http://portal.anvisa.gov.br/servicos/viajantes

Internacional: Onde pode ser solicitado a emissão do certificado internacional da Vacina Contra Febre Amarela http://portal.anvisa.gov.br/certificado-internacional-de-vacinacao-ou-profilaxia


Vestimenta:

Esse é o maior choque cultural logo de início. Para as mulheres no Irã é obrigatório usar véu, cobrir braços e pernas, mesmo as estrangeiras. O véu deve ser usado o tempo todo, inclusive dentro dos ônibus, carros e hotéis. Fique a vontade sem o véu somente dentro do seu quarto.
Caso seu véu caia ou apareça um pouco do cabelo, há sempre alguém que irá te avisar. Não se preocupe.
Calça legging não é recomendado, a não ser que devidamente cobertas por uma peça superior mais longa. E os homens também precisam estar com braços e pernas cobertos. Shorts e bermudas não são aconselhados. Camisas regatas não são bem vindas.
Já mostrar os pés é aceito, então sandálias e chinelos estão liberados.

Importante:
– Bebidas alcóolicas são banidas do país
– Há censura na internet, então diversos sites e aplicativos são bloqueados
– É importante saber que os iranianos viajam muito dentro do seu próprio país, por causa da dificuldade que eles têm de conseguir vistos para outros países, por isso, se programe com antecedência para conseguir vagas nos hotéis.
– Os hotéis no Irã são simples, e mesmo os hotéis 5 estrelas tem uma aparência um pouco mais antiga.
– Não aceitam cartão de crédito
– “Não existe razão para que viajantes gays e lésbicas deixem de visitar o Irã. Não há perguntas sobre sexualidade nos formulários de visto e nós não ouvimos nada sobre viajantes homossexuais sendo mal tratados, desde que evitando atos explícitos de afeto.”
“É prudente não dizer que vocês são um casal do mesmo sexo. A maioria dos hotéis não vai perguntar, porém é melhor ser discreto e não pedir uma cama de casal.”

Para deixar sua viagem ainda mais interessante, sugerimos combinar com outros países próximos, como TURQUIA, LÍBANO, UZBEQUISTÃO, entre
outros.

Curiosidades:
– Comer ao estilo persa:  Comer sentado no chão, sobre tapetes persas (é claro!), é um hábito cotidiano cultivado ainda hoje em pequenas cidades iranianas.
– Dias da semana e horário comercial: No Irã a semana começa no sábado! Quintas e Sextas feiras são os dias de descanso. Por causa do calor o comércio fecha das 12h00 às 16h00.
– Calendário: No Irã eles ainda estão no ano de 1391. Os anos são contados a partir do inicio da Primavera do ano em que Maomé foi de Meca para Medina, ou seja, o ano novo (Noruz) deles é no dia 21 de março.
– Bazares: Os bazares iranianos são enormes. Apesar de serem divididos por setor, é um tanto difícil entender sua lógica, então se deixe levar e caminhe sem rumo para vivenciar um pouco do costume local. Eles oferecem de tudo: roupas, comida, tecidos, brinquedos, utensílios domésticos, artesanato etc…
– Parques: O famoso pic nic no parque faz parte da cultura e rotina iraniana. É muito comum ver parques e praças cheios de iranianos comendo e conversando.
– Principais produtos de exportação: Petróleo (80%), tapetes, frutas e nozes, ferro e metais, produtos químicos e petroquímicos.
– Nos hotéis: Alguns hotéis têm um buraco no chão no lugar do vaso sanitário / Nem sempre as pessoas falam inglês nos hotéis / Nos quartos normalmente há um quadro que indica a direção de Meca.
– Para circular de táxi nas cidades iranianas: Os taxistas raramente falam inglês / Não possuem taxímetro e os preços variam bastante, mas são sempre muito baixos, variando entre U$ 3,00 e U$ 8,00 / Em Shiraz eles pegam mais passageiros no meio do caminho e vão espremendo os passageiros e dividindo os custos.
– Mulheres: São geralmente mais estudadas do que os homens, falam inglês e possuem cargos altos nas empresas iranianas. Isso porque enquanto os homens foram para a guerra elas se mantiveram firmes nos estudos.
– Mulheres modernas: Não gostam da obrigatoriedade do lenço, adoram as turistas, mas ficam nervosas com os homens estrangeiros. São geralmente muito interessadas e curiosas a respeito da vida e costumes no Brasil. As mais jovens fazem topetes, usam maquiagem e óculos de sol com aros dourados para burlar o uso do lenço (é uma revolução silenciosa).
– Presentes: Se quiserem levar presentes para os guias ou amigos que fizerem no Irã, sugerimos camisetas ou artigos da seleção brasileira, que sempre faz muito sucesso.
– Bebidas Alcoólicas: A importação e o consumo de qualquer bebida alcoólica no país são estritamente proibidos.
– O Irã tem o maior índice de cirurgias de nariz no mundo por pessoa. A procura pelo nariz perfeito tem muito a ver com as restrições da tradição hijab de se
vestir, que deixa o foco todo sobre o rosto, mas é mais do que apenas uma questão de
beleza. Para as mulheres persas (e muitos homens também), é também um indicador de riqueza e status social.
– O Irã é o maior exportador mundial de caviar, a comida mais cara do mundo.
Ainda produz 90% do açafrão do mundo.
– O comércio de tapetes é importante na economia do país, que exporta para o
mundo inteiro. Um verdadeiro tapete persa de boa qualidade pode custar milhares, e até dezenas de milhares de euros, segundo seu tamanho e qualidade.
– Foi em 1935 que o país deixou de ser Pérsia e tornou-se Irã. Por isso, os anos são contados a partir do início da Primavera do ano em que Maomé foi de Meca para Medina, ou seja, o ano novo deles, chamado de “Nowruz” é no dia 21 de março.

Mesquita de Nasir al-Mulk: Uma das paradas  obrigatórias para quem visita a cidade de Shiraz, conhecida como a
Mesquita Rosa. Por fora, uma mesquita tradicional com características da arquitetura iraniana, por dentro uma caleidoscópio de cores. . A arquitetura persa usada para construir este lugar permite que a luz do sol crie um espetáculo de cores em seu interior.
A mesquita foi construída principalmente para desfrutar da luz do sol da manhã, quando ela fica mais iluminada.

Pasárgada: Localizada a 130km de Shiraz, foi fundada por Ciro, o Grande, no século VI a.C e tornou-se a primeira capital do Império Persa.

Persépolis: Localizada a 70km de Shiraz, foi uma das capitais do Império
Aquemênida.
Sua  construção, começada por Dario I, continuou ao longo de dois séculos, até
a conquista do Império persa por Alexandre Magno.
Mesquita Jame – A Grande Mesquita de Isfahan, um complexo surpreendente de obras da arquitetura islâmica, é o resultado de uma construção contínua
com reconstruções, adições e renovações que duraram desde 771 até o final do século XX.

Complexo Amir Chakhmaq: é uma estrutura proeminente em
Yazd, onde de um lado está a bela Mesquita com seus arcos simétricos e em frente, uma área pública com jardins e fontes.

Palácio de Chehel Sotún: (que significa “Quarenta Colunas” em persa). Este palácio foi inspirado nas vinte finas colunas de madeira que suportam o pavilhão de entrada e que refletidas no lago da fonte, dão a impressão de serem quarenta.

Mesquita Sheikh Lotfollah: é uma das mais famosas e mais impressionantes obras da arquitetura Islâmica em Isfahan. A construção da mesquita começou em 1603 e foi concluída em 1619.

DOCUMENTOS:
* Passaporte com validade mínima de 6 meses contados a partir da data de embarque, com mínimo de 3 folhas em branco lado a lado (ainda assim alguns países exigem um maior número de folhas em branco).
* É obrigatória a obtenção de visto para o Irã. Informe-se sobre a emissão de visto na Embaixada do Irã no Brasil – http://brasilia.mfa.ir/ (certifique-se que não há vistos ou carimbos de autoridades israelenses em seu passaporte caso contrário, sua solicitação de visto, ou até mesmo sua entrada no território iraniano, poderão ser negadas pois eles não reconhecem legalmente o Estado de Israel).
– Outros vistos: dependendo dos países de conexão ou escala utilizados na rota dos voos reservados, outros vistos poderão ser exigidos.
– Menores de 18 anos viajando desacompanhados – autorização por semelhança* de pai e mãe, com firma reconhecida em 3 vias (para menores viajando sem a presença do pai e da mãe ou acompanhados por terceiros maiores e capazes). A mesma regra aplica quando acompanhados por apenas um dos pais, autorização por semelhança* do genitor que não viajará.
* Firma reconhecida por semelhança: significa que a assinatura de ambos os pais no documento de autorização pode se dar por meio do reconhecimento de firma já registrada em cartório.

VACINAS: Orientações ao Viajante: É importante conhecer, com antecedência da sua viagem, os cuidados que devem ser tomados com a saúde. Recomendamos acessar o site da ANVISA onde poderá encontrar mais informações no portal do viajante para todo Brasil: http://portal.anvisa.gov.br/servicos/viajantes

Internacional: Onde pode ser solicitado a emissão do certificado internacional da Vacina Contra Febre Amarela http://portal.anvisa.gov.br/certificado-internacional-de-vacinacao-ou-profilaxia