Grupo Irã & Omã

Permânencia 20 Dias
Período 06 Out 2019
Detalhes inicio
Saída: 06 Out 2019
Valores Incluem: Parte Terrestre (Consulte a Parte Aérea)
A partir de: U$ 5.490,00 Solicitar Cotação

Alexandre o Grande é tido no Irã como o ´maldito´, ou algo assim. Pudera; ele simplesmente pôs um fim ao Império Persa, que nunca mais voltou a ter o brilho de outrora. Tomando de assalto pelo islã, mais tarde, O irã passou a ser um país controverso. É islâmico, parece radical, mas não é em absoluto. Seu governo islâmico é cheio de bravatas, e seu povo, culto, pouco religioso, admirador do ocidente, é um dos mais acolhedores que conhecemos. São muçulmanos, mas não são árabes. São Persas. São centro-asiáticos. O azul das cúpulas rivalizam com Samarkand. Os mercados e bazares rivalizam com seus equivalentes sírios. Seus sítios arqueológicos….bom Persépolis basta. É seguro? É mais que isso: é acolhedor. Nosso programa é completo, por terra, lento e profundo.

O Omã, por sua vez, é um país peculiar. Bem na linha saudita, estado e religião fundem-se num elemento único, e suas sociedades são regidas por normas ancestrais que mal conseguimos entender, refletindo diretamente no modus vivendi de cada habitante. Aos nossos olhos ocidentais, isso combina à perfeição com uma tribo medieval no deserto, mas como combinar isso com cidades modernas e um ainda com um altíssimo poder aquisitivo?

Observar “in locco” esse contraste entre o ultra antigo vivendo no ultra moderno é, para dizer o mínimo, uma senhora aventura surreal.

Essa é uma viagem para veteranos experientes; para exploradores inveterados, que admiram as nuances do mundo como elas são e, acima de tudo, respeitam e valorizam as diferenças entre os povos. Aliás, não são esses países onde se deve exercitar a ousadia do desrespeito.

Vamos aos highlights:

Capitais magníficas com a última palavra em tecnologia, pilotadas por um povo recém saído do deserto
Nizwa, a Pérola do Islã
Muscat e sua orla fascinante
Mercados árabes dos muito bons por toda parte
Fortalezas impressionantes, dominando aldeias idílicas cercadas por tamareiras
Wadis escarpados com piscinas naturais serpenteando por entre as montanhas
Desertos de verdade, no sentido pleno da palavra
Conhecer uma das sociedades mais conservadoras do planeta antes que ela se abra ao mundo ocidental
A rota é profunda e não poupa nada: andamos a pé pelo deserto e pelos “wadis”, exploramos mercados dos mais antigos, visitamos mesquitas monumentais e dormimos extremamente bem.

  • ira_5-3
  • ira_4-2
  • ira_3-2
  • oma_2-2
  • oma_1-2
  • oma_4-2
  • oma_5-2
  • oma_6-2

DIA

06/10/2019 SHIRAZ

Chegada às primeiras horas do dia, recepção e traslado ao hotel. Conhecida como a mais agradável das metrópolis iranianas, Shiraz é uma cidade com amplas avenidas arborizadas, clima agradabilíssimo a 1400 m de altitude (o vinho Shyrah não tem seu nome por coincidência) e permeada de monumentos a serem visitados. Capital persa por várias dinastias, Shiraz é hoje reflexo direto de seu passado como expoente intelectual no mundo islâmico. Os dois maiores poetas iranianos – Hafez e Sa’di – são nativos de Shiraz e lá estão enterrados. Nosso dia de visitas é abrangente, começando pelo Jardim de Eram, seguindo para os mausoléus de Hafez e Sa’di e diversas mesquitas.


DIA

07/10/2019 SHIRAZ

Pela manhã, visita a Persépolis e a Naghshe Rostam. Persépolis é o ponto culminante de qualquer viagem ao Irã. Antiga capital da dinastia persa Achemenida, Persépolis tem sua história atrelada a grandes nomes e um particularmente curto espaço de tempo. Construída por Dario I em 512 aC e ampliada por uma sequência de Xerxesses e Artaxersesses, Persépolis foi destruída por Alexandre 150 anos depois de sua construção. É compreensível que sob a ótica iraniana Alexandre não seja exatamente O Grande. Por outro lado, Xerxes (um dos vários) não tinha sido propriamente benévolo quando esteve em Atenas. Persépolis não é um lugar que dispensa sua imaginação. A cidade está em ruinas, mas se há ruinas nobres para se ver no mundo, você estará diante delas. À tarde, retorno a Shiraz e visita a fortaleza de Aeg-e-Karim Khan que domina todo o centro da cidade velha e o santuário shiita de Shah-e-Cheragh.

Incluso:Café da manhã

DIA

08/10/2019 SHIRAZ / YAZD

Pela manhã, partida por terra para Yazd, visitando as cidades de Pasargade e Abarkuh no caminho.

Incluso:Café da manhã

DIA

09/10/2019 YAZD

Yazd é, provavelmente uma das mais antigas cidades do planeta. Autores diversos bem como a UNESCO classificam-na de museu vivo, seja lá isso o que for.  Fato é que, a cidade velha de Yazd tem o clássico e encantador charme das ruelas irregulares, mistério dos muros altos onde não se sabe o que acontece do outro lado, a cor do deserto típica de uma cidade de deserto, e uma herança palpável dos zoroastrismo que dominava o Iran antes do Islam.  Nosso dia é inteiramente tomado por explorações diversas, incluindo os jardins de Dolat Abad, as torres do silêncio (é mórbido; esteja preparado), o templo zoroastra do fogo, a grande mesquita e, naturalmente, a  famosa “old town”.

Incluso:Café da manhã

DIA

10/10/2019 YAZD / ISFAHAN

Partida pela manhã para Isfahan. No caminho, visita à grande mesquita de Naien e, já em Isfahan, as pontes Khajou e Si-o-se-pol, ambas sobre o rio Zayandé. O lugar é delicioso e as pontes são charme puro. Não deixe de tomar algo numa das casas de chá instaladas embaixo das pontes.


DIA

11/10/2019 ISFAHAN

Isfahan teve seu curto período de glória (100 anos) nos séculos 16 e 17. Tal foi a intensidade que o que sobrou encanta qualquer um 4 séculos depois. O clima convidativo, o contraste das cores vivas das cúpulas e minaretes com o bege monocromático do deserto, as pontes, os jardins e o bazar fazem de Isfahan um lugar onde se quer ficar mais. Nosso dia é tomado por visitas incluindo o bairro armênio, conhecido como Joflã (não é a Joflã do extremo norte que você viu no mapa perto de Tabriz) e à praça principal, Maidan-e-Naghsh-e-Jahan. Cercada de lojas de quinquilharias inúteis, quinquilharias úteis e tapetes (persas!), a praça é onde tudo acontece. Como em Marrakech. Se você tiver chance de voltar a ela imediatamente no início da noite e ela estiver (deve estar) iluminada, você adiciona muito ao seu dia. Contíguo à praça está o palácio de Ali-Qapu, de onde as famílias reais das dinastias safavidas observavam os acontecimentos na praça, logo abaixo. Faremos o mesmo. O próximo passo é visitar duas mesquitas: Masjed-e-Shah – fantástica, enorme, das melhores do Irã – e a Masjid-e-Lotfolla, pequena, singela e com mosaicos dos melhores. A tarde termina no Qeisarieh Bazar, onde nenhum guia pode ter esparanças de manter um grupo coeso e sob controle. Bom lugar para se perder.


DIA

12/10/2019 ISFAHAN

Continuação das visitas incluindo: Shaking Minarets, the Armenian Vank Church, Friday Mosque e Hasht Behesht Haram.

Incluso:Café da manhã

DIA

13/10/2019 ISFAHAN / KASHAN

Partida pela manhã para Kashan. A caminho, visita à cidade de Abyaneh. Protegida pela UNESCO, Abyaneh é deliciosamente antiga, maravilhosamente construída no sopé do Monte Karkas (3899m), e expõe um emaranhado de ruelas e construções superpostas típicas da antiga concepção urbanística persa. Uma vez em Kashan, temos por objetivo o Bagh-e Fin, famoso complexo de jardins e fontes que expressa a visão clássica persa de paraíso. Jardins como este inspiraram arquitetos e governantes Ásia adentro, atingindo locais remotos (em relação a Kashan, obviamente) como Srinagar, no Kashmir. Visita ainda a Taba -Tabai, residência de um rico comerciante do século 19 com excelente trabalho de decoração.

Incluso:Café da manhã

DIA

14/10/2019 KASHAN / TEHRAN

Partida pela manhã para Tehran, visitando a cidade de Qum no caminho. Frenética, enorme, poluída e com trânsito intratável, Tehran não é das capitais mais agradáveis. No entanto, seus museus têm valor inestimável. Chegada e acomodação. 15/10/2019TEHRANPartida para um tour de dia inteiro visitando o Museu Arqueológico, o Museu do Vidro, o complexo de Saad Abad e o Tadjrish Bazar.

Incluso:Café da manhã
10º
DIA

16/10/2019 TEHRAN / MUSCAT

Pela manhã continuação das visitas incluindo o museu de Abgineh, o museu do tapete e a torre de Azadi, com subsequente traslado ao aeroporto e embarque para Muscat. Chegada, recepção e traslado ao hotel.

11º
DIA

17/10/2019 MUSCAT / NIZWA

Pela manhã, partida para Nizwa, pelo caminho mais longo e tortuoso possível. A rota começa pelo Castelo de Nakhal, que é mais um forte que um castelo. Como é este o primeiro forte de uma longa série, vamos admirá-lo por fora, apenas, e seguir viagem. A partir de Nakhal a estrada serpenteia pelos vales até atingir a entrada do Wadi Bani Awf. Wadi é a denominação genérica para leitos secos de rio que fluem sazonalmente. Quando o asfalto acaba o Wadi Bani Awf fica dramático, a tração 4×4 se faz indispensável e a beleza paisagem cresce na mesma dimensão. Wadi adentro, encontramos a aldeia de Bilad Sayt, o protótipo perfeito do povoado idílico, isolado e protegido pelo wadi “impenetrável”. Vamos andar a pé (cerca de 1h) e explorar tudo, de ruelas a tamareiras. De lá retomamos o wadi com uma subida vertiginosa até sair dele por um belvedere que mostra a enormidade da cadeia montanhosa de Hajar que acompanha toda costa norte do país. De lá descemos para o nosso hotel, em Nizwa, nossa base a partir de onde, nos próximos dois dias, exploraremos a região em minúcias.

12º
DIA

18/10/2019 NIZWA

Nizwa é uma cidade deliciosa no que tange ao nosso gosto de explorador. O foco de interesse da cidade gira em torno do forte, da grande mesquita e das muralhas do “souk”, o grande mercado. Esse conjunto monumental, dos mais fotogênicos à luz do dia e simplesmente surreal à noite (não perca, por mais longe que seu hotel seja), é rodeado de um comércio frenético, parte omani, parte indiano, tornando a cidade “Pérola do Islã” o ponto alto de qualquer viagem ao Omã. A cidade exala tradição, sem ser no entanto, intolerante. Nizwa é ainda motivo de orgulho nacional: contam os guias que foi perdendo a batalha por Nizwa que os portugueses, restritos a “Mascate”, foram expulsos do Omã. Nossa manhã começa pelo souk. Além do clássico – verduras, carnes, frutas e tâmaras – o souk contém algo raro até esse ponto da viagem: lojinhas com quinquilharias para turistas. De lá vamos ao Forte de Nizwa, e subimos ao topo, para a melhor vista da cidade. Próximo passo: o Forte de Jebrin, no meio de uma plantação de tamareiras, meio forte meio palácio com algumas salas ainda ostentando parte da decoração original. De lá vamos subir, e dessa vez é alto: Jebel Shams. A 1900 m, fotografamos o desfiladeiro impressionante que se descortina aos nossos pés e voltamos ao vale, para uma série de explorações curtas a pé (1,5h) pelas aldeias de Misfah, Al Hamra e pelos “coqueirais” de tamareiras que circundam todas as aldeias. Retorno ao hotel em Nizwa no final da tarde.

13º
DIA

19/10/2019 NIZWA

Hoje é dia de andar a pé, e muito (mas há como escapar). Pela manhã, exploramos o imenso “coqueiral” de tâmaras de Birkat Al Mouz. Com um pouco de sorte os pássaros azuis darão o ar da graça. De lá subimos alto, para o Jebel Akhdar, um enorme platô a 1900 metros de altitude, com desfiladeiros, aldeias penduradas nas encostas e terraços agrícolas pendurados nas aldeias. É do Jebel Akhdar que vem grande parte das frutas consumidas no Omã. Uma vez lá, caminhamos entre as aldeias nas encostas íngremes: da aldeia A para a aldeia B (30 min), e de B para C (1h) – os nomes, só para passageiros de fato. Você pode fazer todo o percurso ou optar por apenas um deles. O desnível máximo a ser vencido é de 100 metros verticais (desce 100, sobe 100). As aldeias são charmosas e a vista é magnífica. Retorno ao final da tarde ao hotel, em Nizwa.

14º
DIA

20/10/2019 NIZWA / WAHIBA SANDS

Partida muito cedo (em horário insano) pela manhã para Sinaw. O motivo da pressa é nobre: hoje tem feira de animais e queremos chegar lá cedo. De Sinaw vamos para o deserto. Literalmente –  estamos falando de areia e mais nada. Nosso acampamento, enfurnado no areal, é confortável e tem todas as amenidades necessárias para uma noite (é apenas uma). As atividades disponíveis para a tarde, todas temáticas (e opcionais) vão desde quadriciclos, 4×4, caminhada para o por do sol nas dunas e diversos níveis de “voltinha a camelo”,de iniciante a avançado.

15º
DIA

21/10/2019 WAHIBA SANDS / SUR

Pela manhã, abandonamos o deserto absoluto e voltamos ao deserto relativo, especificamente para o Wadi Beni Khaled. Com a configuração clássica de encostas íngremes de arenito, fartas plantações de tamareiras no fundo do vale e um riacho sazonal, o Wadhi Beni Khaled tem um “plus” a mais: suas piscinas naturais estão a 10 minutos de caminhada do estacionamento, um prato cheio para as famílias omanis nos finais de semana. Tenha consigo seu traje de banho islâmico e uma toalha – o lugar é magnífico e você vai querer entrar na água (há onde trocar de roupa). Em continuação, seguimos para a cidade costeira de Sur, diretamente ao hotel. Em chegando cedo, não perca a Corniche (o calçadão) nem o souk ao lado dele. Aproveite essa noite, já que a noite seguinte está ocupada.

16º
DIA

22/10/2019 SUR

Sur é agradabilíssima. Vamos explorar tudo a pé (há como escapar e ir de carro, obviamente). Começamos de manhã pela Corniche, andando pelo calçadão ou pela praia até a o farol da cidade velha (1,5 h sem nenhuma pressa). De lá e de volta aos veículos, visitamos o melhor estaleiro do país, onde são fabricados os melhores e mais famosos dhows, ainda da forma tradicional e totalmente artesanal. De lá vamos ao museu naval (minúsculo e a céu aberto), antes de voltar ao hotel para uma tarde livre. Ao cair da noite e já após o jantar, partimos para Ras Al Jinz (40 min), ponto vantajoso no extremo nordeste da Península Arábica. É lá que acontece, no verão, a maior concentração de tartarugas verde do Oceano Índico. É na praia de Ras Jinz que elas enterram seus ovos, eclodindo em milhares de tartaruguinhas dentro de 40 dias. A atividade turística é ferrenhamente controlada e no inverno, quando há poucas tartarugas, o sucesso da expedição não é garantido. A volta ao hotel em Sur acontece por volta das 23 horas. Em não havendo sucesso com as tartarugas nessa noite (acontecimento raro e apenas no inverno), há a possibilidade de voltar a Ras Jinz na madrugada seguinte (saindo de Sur às 4:30 da madrugada) para uma nova tentativa.

17º
DIA

23/10/2019 SUR / MUSCAT

Partida pela manhã de Sur com destino ao Wadi Shab (40 min). Aqui o jipe não entra, e nós seguimos a pé. O wadi é lindo, sinuoso e escarpado, com diversos níveis de piscinas naturais dependendo da estação. A objetivo nobre é a piscina da gruta (denominação nossa), o que significa 1 hora de caminhada leve (e outra hora para voltar) sem relevo significativo a ser vencido. Você pode atacar o wadi e desistir a qualquer minuto, voltando por conta própria ao estacionamento; não há como se perder num wadi: ou você vai, ou volta. Tenha consigo roupa de banho, muita água (não menos que 1 litro) e algo de bom para mastigar, uma vez que esta é uma atividade para 3 horas de duração. Se não houver turistas omanis onde você for entrar na água, biquínis são admissíveis. Caso contrário, faça bom uso do seu traje de banho omani. De volta ao carro, seguimos para Muscat, com uma parada no Sink Hole, uma enorme e profunda cratera inundada de água salgada. Uma escadaria leva você ao nível da água, que aliás é convidativa (traje de banho omani, please). Uma vez em Muscat, vamos diretamente ao hotel. Se você é do tipo impaciente e de imediato quer sair para explorar tudo, ótimo: pegue um táxi (nada em Muscat é perto, e os hotéis, menos ainda) e vá para a Corniche (o famigerado calçadão a beira-mar); o de Muttrah (interprete como sendo um bairro da grande Muscat) é, de longe e sem dúvidas, o melhor de toda a Península Árabe, e traz em si o próprio perfil da cidade é: o mar, o porto, os iates do Sultão, o forte (português) todo iluminado, e o melhor de todos os souks, com o povo todo na rua. Não é de se perder essa oportunidade.

18º
DIA

24/10/2019 MUSCAT

A antiga cidade portuguesa de Mascate (1507 a 1650) era a base naval a partir da qual os portugueses, em plena era das grandes navegações, dominavam não apenas o Estreito de Ormuz, como também garantiam o fluxo naval na rota entre a África e a Índia. Imbatíveis (no século 16) por mar, foi por terra (de Nizwa) que veio a retomada omani. Os sinais da era portuguesa na Muscat atual são poucos, mas os dois fortes são gritantes como pano de fundo da cidade. Nossa manhã tem visitas diversas: o mercado de peixes, a Corniche e o souk (tudo isso em Muttrah), a nova Grande Mesquita (é grande, impressionante e tem até um “Q” de Taj Mahal), a nova Opera House (dá inveja, de tão maravilhosa), e o Museu Nacional (com o melhor acervo do país e magnificamente bem curado). Tarde livre.

19º
DIA

25/10/2019 MUSCAT

Em horário apropriado, traslado ao aeroporto e embarque para seu próximo destino.

VALORES POR PESSOA EM DÓLAR

Hospedagem Quádruplo Triplo Duplo Single CHD Validade
Conforme Roteiro - - U$ 5.490 - - 06 a 25 Out 2019

 

OS VALORES E DISPONIBILIDADES DOS PROGRAMAS CONTIDOS NESTE SITE DA ADVENTURE CLUB ESTÃO SUJEITOS A ALTERAÇÕES. (30)

PACOTE TERRESTRE
40% de sinal + 3 parcelas no cartão

· US$ 200: taxa de pedido de reserva e/ou personalização do programa (VISA OU MASTERCARD). Aplicável quando há personalização de programas sob encomenda. Veja detalhes abaixo.

· 1ª parcela: 40% já com sua reserva confirmada. Forma de pagamento: cheque ou depósito bancário. Veja detalhes abaixo.

· Saldo: 60% no cartão em 3 vezes com VISA ou MASTERCARD. Forma de pagamento: transação simples e eletrônica, no dia do pagamento do sinal. Veja detalhes abaixo.

US$ 200 – Essa é a taxa de reserva e/ou personalização do programa.

Inclui:
– Hotéis 5 estrelas no Irã
– Hotéis 4 estrelas no Omã – exceção: hotel 3 estrelas em Wahiba Sands.

Não inclui:
– Imposto de renda referente a remessas ao exterior (Deve ser pago juntamente com a entrada da viagem);
– visto para o Irã;
– refeições e bebidas não mencionadas;
– despesas pessoais;
– qualquer outro item não mencionado como incluso.

Hospedagem:
Isfahan – Abbasi
Kashan – Saraye Ameriha Boutique
Muscat – Sheraton
Nizwa – Golden Tulip
Shiraz – Zandiyeh
Sur – Sur Plaza
Tehran – Espinas International
Wahiba Sands – 1000 nights Camp
Yazd – Safayieh

Seguro:
Seguro GTA Bronze

Informações Úteis
* Passaporte com validade mínima de 6 meses contados a partir da data de embarque, com mínimo de 3 folhas em branco lado a lado (ainda assim alguns países exigem um maior número de folhas em branco).
* É obrigatória a obtenção de visto para o Irã. Informe-se sobre a emissão de visto na Embaixada do Irã no Brasil – http://brasilia.mfa.ir/ (certifique-se que não há vistos ou carimbos de autoridades israelenses em seu passaporte caso contrário, sua solicitação de visto, ou até mesmo sua entrada no território iraniano, poderão ser negadas pois eles não reconhecem legalmente o Estado de Israel).
* Vacinas necessárias: Há divergência sobre a obrigatoriedade de vacinação contra a febre amarela para o Irã. Portanto, recomendamos a vacinação para viagem ao país que deve ser tomada com pelo menos 10 dias de antecedência da data de saída da viagem e com a emissão do cartão internacional de vacinação. Como a vacina pode causar reações, consulte o seu médico antes de se vacinar. http://www.anvisa.gov.br/viajante/