Escalada do Kilimanjaro:
O ponto mais alto da África

Permânencia 11 Dias
Período Até Dez 2019
Detalhes inicio
Saída: Fixas, consultar em Detalhes
Valores Incluem: Parte Terrestre (Consulte a Parte Aérea)
A partir de: U$ 4.900,00 Solicitar Cotação

A ideia de estar no cume mais alto de um continente é fascinante. Quando este continente é a África esta ideia fica ainda mais atraente. A subida nos leva desde a floresta tropical da base até a vegetação alpina do cume a 5895 metros de altitude.

Existem várias rotas para se chegar ao cume do Kilimanjaro e em nossa expedição usaremos a rota Rongai. O custo de cada uma dessas rotas varia, sendo que as mais baratas são, sem dúvida, as mais populares. A escolha da rota Rongai se baseia na variedade da paisagem encontrada, na beleza do caminho e, mais do que tudo, pelo fato de ela ser muito menos usada do que as outras por ter um custo um pouco maior. Assim, dividiremos os acampamentos com menos grupos e teremos também muito menos gente nas trilhas.

  • tanzania_1-2

DIA

Chegada ao aeroporto de Kilimanjaro e traslado a Arusha

Chegada ao Aeroporto Internacional de Kilimanjaro e traslado a Arusha a 1380 metros de altitude. Hospedagem no Hotel Mount Meru, (http://www.mountmeruhotel.com), um confortável hotel 5* com fácil acesso ao centro de Arusha e no entanto em uma região quieta da cidade.


DIA

Visita ao vilarejo massai

Hoje visitaremos um vilarejo massai não turístico que se situa a 2 horas de viagem de Arusha. Esta visita nos permitirá conhecer os hábitos singulares desta etnia, ver como vivem e visitar a pequena escola onde, querendo, podemos fazer doações de materiais escolares. Almoçaremos no vilarejo e no final da tarde voltaremos ao nosso hotel em Arusha.


DIA

Trek ao acampamento Sekimba

Primeiro dia de escalada – Distância caminhada – 7 quilômetros, Subida acumulada – 620 metros, Descida acumulada – 15 metros

Após o café da manhã, traslado à entrada do parque nacional na rota Rongai (2028 metros). Após nos registramos no parque iniciaremos nosso trekking com uma caminhada por uma floresta de pinheiros onde podem ser vistos macacos Colobus. Nossa caminhada será de aproximadamente 4 horas de duração até chegarmos ao acampamento Sekimba a 2642 metros de altitude. A partir de hoje, nossa acomodação será em barracas e comeremos em uma barraca refeitório com mesas e banquinhos. Também teremos dois banheiros com privadas portáteis e uma barraca chuveiro (exclusividade da Adventure Club no Kilimanjaro).


DIA

Acampamento Sekimba - Caverna Kikelewa

Segundo dia de escalada – Distância caminhada – 12 quilômetros, Subida acumulada – 1150 metros, Descida acumulada – 140 metros

Hoje caminharemos entre 6 a 7 horas ganhando 1000 metros de altitude até a caverna Kikelewa (3700 metros) onde acamparemos. Conforme formos ganhando altitude a paisagem dará lugar a uma vegetação mais rasteira e as nuvens, tão comuns nesta região em terras mais baixas, ficarão abaixo de nós e começaremos a ter vistas lindas do Kilimanjaro.


DIA

Caverna Kikelewa - Mawenzi Tarn Hut

Terceiro dia de escalada – Distância caminhada – 4 quilômetros, Subida acumulada – 650 metros, Descida acumulada – 30 metros

Hoje teremos um dia mais curto com aproximadamente 4 horas de caminhada até o Mawenzi Tarn Hut (4330 metros), de onde teremos magníficas vistas do Kilimanjaro e o Mount Mawenzi. Também veremos pela primeira vez a planta característica desta região, a Senecio Kilimajaris.


DIA

Aclimatação no Mawenzi Hut

Quarto dia de escalada – Distância caminhada – 3 quilômetros, Subida acumulada – 350 metros, Descida acumulada – 350 metros

Hoje, faremos uma caminhada de aclimatação e voltaremos a dormir no mesmo acampamento. Este é um dia importante, normalmente não incluído nos roteiros. Com este dia extra a 4330 metros aumentamos não só nossa chance de cume, mas também garantimos que faremos o cume nos sentindo bem, sem dores de cabeça e bem-dispostos. Subiremos as encostas do Mawenzi Peak com 5150 metros ganhando ao redor de 400 a 600 metros de altitude em relação ao nosso acampamento. Esta caminhada demorará ao redor de 4 a 5 horas.


DIA

Mawenzi Tarn Hut - School Hut

Quinto dia de escalada – Distância caminhada – 9 quilômetros, Subida acumulada – 620 metros, Descida acumulada – 200 metros

Hoje ganharemos mais 420 metros em uma linda caminhada de 5 a 6 horas de duração até o School Hut (4750 metros). Descansaremos durante a tarde e iremos dormir às 18 horas após um bom jantar. Acordaremos às 23 horas, tomaremos o “café da manhã” e partiremos para o cume da África.


DIA

School Hut - Cume - Horombo Hut

Sexto dia de escalada – dia de cume – Distância caminhada – 22 quilômetros, Subida acumulada – 1300 metros, Descida acumulada – 2300 metros

Hoje é o tão esperado dia! Sairemos à meia noite rumo ao nosso objetivo, o topo da África! Conforme progredimos, nossa trilha irá se tornando cada vez mais íngreme até chegarmos ao Gilman’s Point a 5685 metros de onde teremos um inesquecível nascer do sol ao lado dos campos nevados. Após um pequeno descanso, seguiremos pela borda da cratera até o Uhuru Peak, o verdadeiro cume do Kilimanjaro, a 5895 metros. Nossa subida ao cume da África demorará ao redor de 7 a 8 horas, mas cada passo valerá a pena pela vista que teremos lá de cima. Desceremos então por outras 6 horas e 2100 metros até o Horombo Hut. Esta descida será feita por uma outra rota, fazendo um trajeto circular.


DIA

Horombo Hut - Arusha

Sétimo dia de escalada – Distância caminhada – 21 quilômetros, Subida acumulada – 25 metros, Descida acumulada – 1840 metros

Nosso último dia de caminhada nos levará, após 6 horas e 20 quilômetros, ao Marangu Gate onde nossa van nos estará esperando para levar-nos de volta a Arusha e ao nosso hotel. Apesar de estarmos sonhando com os confortos de nosso hotel nos deliciaremos com esta caminhada por entre a linda floresta equatorial da região do Kilimanjaro.

10°
DIA

Safari fotográfico no Tarangiri National Park

É impossível perder a oportunidade de estar na Tanzânia e não fazer um safári fotográfico. Por isso a Adventure Club oferece como fechamento desta maravilhosa expedição uma visita de um dia ao Tarangiri National Park. Este parque situado a duas horas de viagem de Arusha é habitat de zebras, girafas, hienas, búfalos e uma grande população de elefantes além de predadores como leões e leopardos.

11°
DIA

Voo internacional

Traslado ao aeroporto internacional de Kilimanjaro para o voo de volta.

VALORES POR PESSOA EM DÓLAR

Hospedagem Quádruplo Triplo Duplo Single CHD Validade
Grupo mínimo de 8 pessoas - - - U$ 4.900 - Até Dez 2019
Grupo de 6 ou 7 pessoas - - - U$ 5.500 - Até Dez 2019
Grupo de 4 ou 5 pessoas - - - U$ 6.000 - Até Dez 2019
Grupo de 2 ou 3 pessoas - - - U$ 7.000 - Até Dez 2019

 

Single Supplement involuntário: U$ 400,00 (Conforme os clientes forem se inscrevendo na viagem serão feitos pares para a divisão de quartos. Caso, ao final do período de inscrição alguém fique sem par, esta pessoa terá de pagar um single supplement.)

Single Supplement voluntário: U$ 800,00 (Caso a pessoa escolha ficar em quarto individual pagará o dobro do single supplement involuntário, já que por sua escolha outra pessoa do grupo também ficará em um quarto individual.)

OS VALORES E DISPONIBILIDADES DOS PROGRAMAS CONTIDOS NESTE SITE DA ADVENTURE CLUB ESTÃO SUJEITOS A ALTERAÇÕES. (24)

Pagamento sob consulta

Inclui:
– Quatro noites de acomodação no Hotel Mount Meru em Arusha ou similar em quartos duplos com café da manhã no programa de maio 2018
– Safari fotográfico no Tarangiri National Park com um dia de duração no programa de maio de 2018
– Barracas duplas durante o trekking
– Alimentação completa durante o trekking
– Equipe completa com guias locais (um guia local para cada 2 ou 3 clientes), carregadores e equipe de cozinha
– Barraca refeitório com mesa e banquinhos, barraca banheiro, barraca cozinha e barraca chuveiro
– Traslados do aeroporto internacional de Kilimanjaro a Arusha (caso a chegada seja na data de início da viagem), de Arusha ao começo da trilha, do fim da trilha a Arusha e de Arusha ao aeroporto (caso a partida seja na data de encerramento da viagem)
– Ingresso ao parque nacional e demais taxas
– Os carregadores levarão até 15 quilos de bagagem por cliente e carregadores extras podem ser contratados caso haja necessidade (US 100 por carregador levando até 18 quilos). Esses quilos do carregador extra podem ser divididos entre dois ou mais clientes.

Não incluído:
– Alimentação em Arusha, a não ser os cafés da manhã
– Traslados do aeroporto internacional de Kilimanjaro a Arusha (caso a chegada não seja na data do início da viagem) e de Arusha ao aeroporto (caso a partida não seja na data de encerramento da viagem)
– Gorjetas (recomendamos US$ 250, ver explicação nas Perguntas e Respostas)
– Voos internacionais e taxas de embarque

Saídas:
Março 2019: Guia Agnaldo Gomes
– Inicio: em Arusha em 02 de março de 2019
– Término: em Arusha em 12 de março de 2019

Junho / Julho 2019: Guia Agnaldo Gomes
– Inicio: em Arusha em 26 de junho de 2019
– Término: em Arusha em 06 de julho de 2019

Dezembro 2019 / Janeiro 2020: Guia Manoel Morgado
– Inicio: em Arusha em 26 de Dezembro de 2019
– Término: em Arusha em 05 de Janeiro de 2020

Vistos: Brasileiros podem tirar visto na chegada por U$ 50 por 30 dias.

Vacinas: Para informações atualizadas sobre vacinas, por favor, consultar o site da Anvisa https://viajante.anvisa.gov.br/viajante/paf_web_frmRoteiroViagem.asp

Para passageiros viajando com passaporte brasileiro é obrigatório ter o Certificado Internacional de Vacina de Febre Amarela. Recomendamos também as vacinas de Hepatite A e Febre Tifoide. Sugerimos conversar com o seu médico sobre vacinação e fazer uma consulta a um dos serviços de Medicina dos Viajantes. Esses serviços estão disponíveis na Clínica de Vacinação Cedipi em São Paulo (11) 3887-6111 ou no Hospital Emílio Ribas. Para agendamento acessar este link http://www.emilioribas.sp.gov.br/pacientes-e-acompanhantes/medicina-do-viajante/

Guias:
Manoel Morgado
Para Manoel Morgado viajar sempre foi parte integral de sua vida. Desde muito jovem aventurou-se primeiro pelo Brasil e depois pelos países da América do Sul. Em 1980 formou-se em medicina e fez especialização em pediatria, mas antes de começar a trabalhar seguiu para uma longa viagem de dois anos de duração pela Europa e Ásia e este ano na Ásia acabou sendo determinante em sua história de vida. Voltando ao Brasil trabalhou como pediatra por cinco anos, mas acabou percebendo que necessitava unir trabalho com viagens e voltou para a Ásia onde viajou por outros três anos. Em 1992 abriu sua primeira empresa de turismo levando brasileiros para viajar pelos lugares que amava. Desde então guiou centenas de pessoas por inúmeros países. Em sua convivência com as culturas asiáticas acabou entrando em contato com yoga, meditação e budismo que influenciaram profundamente sua maneira de ver o mundo. Também teve a oportunidade de praticar vários esportes de aventura como kayaking, rafting, ciclo turismo, escalada em rocha e em gelo. Mas estar rodeado por montanhas nevadas é o que faz com que se sinta mais realizado. Manoel já escalou dezenas das principais montanhas do mundo incluindo as mais altas da América do Sul (Aconcágua), da América do Norte (McKinley), da Europa (Elbrus), da África (Kilimanjaro), da Oceania (Kosciuszko), além das mais altas da Bolívia (Sajama) e do Equador (Chimborazo), do Irã (Damavand). Em setembro de 2009 escalou o Cho Oyu, (8201 metros), a sexta mais alta montanha do planeta, e em maio de 2010 colocou os pés no cume do Everest tornando-se o oitavo brasileiro a lograr este feito. Em dezembro de 2011 concluiu a escalada da montanha mais alta de cada continente, o chamado Sete Cumes (Seven Summits), tornando-se o segundo brasileiro a conquistar este feito. Em março de 2012 lançou seu primeiro livro – Sonhos Verticais – contado suas escaladas do Cho Oyu e Everest e nos anos seguintes publicou mais dois livros, “Manaslu, em busca dos meus limites” e “Sete Cumes, uma vida nas montanhas”. Atualmente divide seu ano entre estar nas montanhas em suas expedições pessoais e os grupos que guia e seu veleiro “Good Karma” fazendo a circunavegação do planeta.

Agnaldo Gomes
Agnaldo Gomes é formado em Geografia pela PUC – São Paulo. É guia de montanha há 15 anos e pratica esportes outdoor há 25. A paixão pelas montanhas nasceu nas aulas de Geografia, quando cursava o ensino médio e, desde então, o amor pelas montanhas e a necessidade de estar ao ar livre somente aumentou. Tem em seu currículo expedições em alta montanha, travessias de bicicleta e caiaque oceânico.
Em 1990 fez sua primeira expedição em altitude, no Aconcágua, na Argentina. Realizou cursos de escalda em rocha, gelo e primeiro socorros.
Participou e liderou expedições nas montanhas mais altas de vários países, entre elas o Aconcágua, na Argentina, Huascaran e Pisco, no Peru, Cotopaxi, Illiniza e Chimborazo, no Equador, Huyana Potosi, Pequeno Alpamayo, Illimani e Sajama, na Bolívia, Elbrus, na Rússia, Kilimanjaro, na Tanzânia e o Island Peak, no Nepal. Em setembro de 2013 participou de uma expedição ao Cho Oyu, a sexta mais alta montanha do planeta, com 8201 metros, localizado na fronteira do Nepal com o Tibete. Alcançou o cume no dia primeiro de outubro e se tornou um dos poucos alpinistas brasileiros a ter escalado uma montanha com mais de 8000 metros. Atualmente divide seu trabalho administrando sua empresa e trabalhando como guia para a Morgado Expedições. Como próximos desafios, Agnaldo tem a escalada do Pico Muztagata, com 7546 metros, no noroeste da China, o Ama Dablam, no Nepal, o McKinley, no Alasca, considerada a montanha mais fria do mundo, e o Monte Everest, no Nepal, com 8850 metros de altitude e ponto culminante do planeta.

Você também pode gostar