Grupo Papua Nova Guiné

Permânencia 13 Dias
Período 08 Ago 2019
Detalhes inicio
Saída: 08 Ago 2019
Valores Incluem: Parte Terrestre (Consulte a Parte Aérea)
A partir de: U$ 9.590,00 Solicitar Cotação

Até 1930 nenhum europeu havia aventurado sua pele pálida até as montanhas do centro da ilha da Nova Guiné. Para além daquelas montanhas, outras cadeias deveriam existir, definindo um território inóspito e inabitado. Errado, totalmente. Em 1930 os ingleses descobriram que o interior da ilha continha vales férteis a cerca de 2000 metros de altitude, livres da malária infernal da costa, habitados por uma verdadeira multidão nativa isolada do mundo exterior e isolada uns dos outros, exceto quando entravam em guerra com a tribo vizinha, coisa normal e cotidiana. Oitenta anos depois, a fama ainda corre solta: caçadores de cabeças, canibais, pássaros exóticos e ornamentos humanos mais estranhos ainda. Parte de tudo isso é verdade, parte se perdeu, e parte ainda está lá – nem é bom pensar por quanto tempo mais, pois pode ser angustiante.

Nossa expedição em Papua Nova Guiné tem cara de Nat Geo com estrutura de filme de James Bond. A ilha é enorme, as montanhas passam dos 4000 metros, as estradas são péssimas e o país quase não tem vôos domésticos. Temos nosso próprio vôo charter para cá e para lá, pousando onde nem se imagina poder chegar. Para explorar as aldeias às margens dos rios, já que você não quer remar por uma eternidade, temos os nossos jetboats. Para o litoral, temos o melhor ativo dos dias de hoje: o tempo. Imprimimos calma acima d’água, e snorkel de primeira abaixo dela. E para dormir, temos lodges divinos; verdadeiros oásis no meio do nada.

E o festival? Tribos do país todo reúnem-se por dois dias no centro da ilha para dançar, cantar e mostrar seus ornamentos. É o máximo que se pode querer em termos antropológicos (embora já tenhamos dito isso outras vezes). Bom, você sempre pode ir para Papua Nova Guiné e não ir a um dos grandes festivais, mas isso não será conosco.

Enfim, se você é dos que olham o mapa mundi e sorri para ele com aquela sensação de que o mundo está ficando pequeno para você, não perca Papua Nova Guiné. E vá logo.

  • shutterstock_197349164-a-dois

DIA

08/08/2019 PORT MORESBY

Recepção no aeroporto e traslado ao hotel. Restante do dia livre.


DIA

09/08/2019 PORT MORESBY / MOUNT HAGEN

Em horário apropriado, traslado ao aeroporto e  embarque no vôo doméstico para Mount Hagen. À medida que você voa para oeste, dá para experimentar um pouco da sequência de sensações às quais os pioneiros do interior da ilha foram submetidos: você sobe (o avião, na verdade) uma cadeia imensa de montanhas, muitas delas com mais de 4000 metros, para descobrir que depois delas vem vales e mais vales, férteis, cultivados, densamente povoados, com uma variedade estonteante de línguas e vertentes culturais, repletos de tribos que plantam, colhem, brigam, comem seus inimigos derrotado e viram seu primeiro homem branco em 1930. Uma bela surpresa, em 1930. Muita coisa mudou de lá para cá, bem como muita coisa ficou intacta. Mount Hagen é a capital da província de West Highlands (gostamos do nome), e merece toda nossa atenção, mais adiante no programa. Recepção no aeroporto e traslado imediato (50 minutos) ao Waghi Valley. Com 30 mil anos de cultivo no currículo, o Waghi Valley está entre os berços da agricultura. Nosso lodge, situado nos contrafortes que definem o vale, tem vista privilegiada e é uma atração em si.


DIA

10/08/2019 MOUNT HAGEN / KARAWARI RIVER (SEPIK AREA

Mount Hagen está no seu caminho de volta, dentro de 8 dias, portanto, já de volta ao aeroporto pela manhã, embarque no vôo para Karawary. Este é um vôo charter: Karawary é o nome do rio e do nosso lodge, no meio do nada (há quem diga “no meio do tudo”) e para onde ninguém voa; além de você, no seu vôo charter. As montanhas ficam para trás e a floresta tropical assume o cenário até onde a vista alcança. Esta é a situação do nosso lodge, no topo de uma elevação sobre o rio Karawari: até onde a vista alcança. Sepik é o nome de toda a região, é o nome da imensa bacia hidrográfica do imenso rio de mesmo nome, e é, ainda o nome genérico do melhor artesanato do país. Na bacia do rio Sepik, arte é religião e religião é arte. Isso bastaria para ir lá, mesmo se as aldeias sobre palafitas não fossem visualmente encantadoras; mesmo se as canoas de um tronco só não tivessem crocodilos – carrancas entalhadas nas proas; mesmo se a floresta não fosse exuberante e mesmo se o nosso lodge não fosse um oásis no meio de tudo isso. Você pousa, e uma combinação de barco e jipe leva você até o lodge. Nossa tarde é dedicada à aldeia Kundiman. A aldeia é pitoresca, seus habitantes, pintados e decorados, são mais pitorescos ainda. Este é o nosso primeiro contato com uma aldeia realmente remota no meio da selva em Papua Nova Guiné. Surpresa: apesar das aparências, eles não caçam cabeças, não nos cozinham num caldeirão (nem tampouco nos comem crus), e além disso posam para as câmeras. Nosso roteiro inclui assistir à produção de sago, a base alimentar do Sepik. O fim da tarde vê a volta ao nosso lodge-oasis.
SOBRE O SEPIK – ATENÇÃO: a bacia hidrográfica do rio Sepik não tem apenas as maravilhas que se relata. O isolamento em relação ao mundo da energia elétrica impõe certos inconvenientes no lodge, tais como ventiladores ao invés de ar-condicionado, numa região que faz calor e tem mosquitos – e como tem! Sabemos que você sabe lidar com isso, mas se você não for desses, pense duas vezes antes de topar a empreitada de explorar o Sepik.


DIA

11/08/2019 KARAWARI RIVER (SEPIK AREA)

O dia hoje é inteiramente tomado pela visita a diversas aldeias ao longo do rio Karawari. Teremos tempo para investigar o que faz da arte sepik ser tão famosa, para entender como e do que vive o povo, para visitar um dos Men´s Haus e para comprar alguma quinquilharia (você ajuda a tribo e ainda trás um troféu de guerra para mostrar). Você embarca e desembarca mil vezes dos barcos a motor, observa o que se passa nas margens do rio, e cruza com mais pássaros do que você pode fotografar. Saia do lodge vestido para combate: roupas leves (faz calor e é úmido), mangas compridas (mosquito, lembra?), um bom repelente, um bom chapéu e um filtro solar.


DIA

12/08/2019 KARAWARI

Dia inteiro de tour.


DIA

13/08/2019 KARAWARI / LAKE MURRAY

Saida em voo fretado para Lake Murray. Tarde de tour.


DIA

14/08/2019 LAKE MURRAY

Dia inteiro de tour.


DIA

15/08/2019 LAKE MURRAY

Dia inteiro de tour.


DIA

16/08/2019 LAKE MURRAY / MOUNT HAGEN

Em horário apropriado, traslado ao aeroporto e embarque no vôo charter para Mount Hagen. Recepção e traslado ao hotel. À tarde, visita ao mercado local. Principal entreposto comercial do vale, o mercado de Mount Hagen, naturalmente confuso, dinâmico e fotogênico, fervilha em véspera de festival.

10º
DIA

17/08/2019 MOUNT HAGEN (em dia de festival)

Uma vez por ano, uma quantidade enorme de tribos – aos milhares – afluem para Mount Hagen para o grande festival. Cada tribo apresenta sua performance – o seu “singsing”’ – que em geral retrata os traços mais clássicos do folclore da tribo, em muitos casos apenas folclore, mas em muitos outros folclore é espelho do cotidiano, isso em pleno século 21. Máscaras, pinturas, maquiagens, plumas, coreografia, música, é tudo tão difícil de descrever…O evento dura dois dias, acontece num descampado, as montanhas fazem um belo pano de fundo, e os poucos ocidentais que podem pagar pelo privilégio de estar lá deixam Papua Nova Guiné com um novo conceito sobre o que é de fato raro de se ver. Mount Hagen vende todos os seus leitos de hotel – os bons e os ruins – com 1 ano e meio de antecedência. Todos os turistas comparecem. Ao que parece, toda as tribos também. O festival começa no meio da manhã e vai dia adentro. Sabemos que antes do início do festival, as tribos estão no “camarim a céu aberto” em pleno processo de maquiagem, e você não pode perder esse momento, portanto, esteja a postos logo depois do café da manhã. Os dois grandes festivais de Papua Nova Guiné são o de Mount Hagen e o de Goroka, também nas Highlands. Se você tem Papua Nova Guiné nos planos, esteja lá para um destes dois festivais. São eventos do mais alto teor antropológico, são autênticos como ainda pode ser neste planeta; talvez não por muito mais tempo, portanto, embolse o seu.

11º
DIA

18/08/2019 MOUNT HAGEN (em dia de festival)

O festival continua. Se você já esgotou sua dose de singsings, faça uma pausa, vá ao mercado descobrir onde está aquele milhar de gente que não está dançando, depois vá até a piscina do hotel, e depois volte aos singsings com novas baterias. Temos visto isso acontecer na Etiópia, no Butão, na Índia e em Olinda.

12º
DIA

19/08/2019 MOUNT HAGEN / PORT MORESBY

Pela manhã, traslado ao aeroporto e embarque no vôo regular para Port Moresby. Recepção e traslado ao hotel com tour pela tarde.

13º
DIA

20/08/2019 PORT MORESBY

Em horário apropriado traslado ao aeroporto e embarque para o seu próximo destino. 

VALORES POR PESSOA EM DÓLAR

Hospedagem Quádruplo Triplo Duplo Single CHD Validade
Conforme Roteiro - - U$ 9.590 - - 08 a 20 Ago 2019

Suplemento* para aptos individuais U$ 1.290

OS VALORES E DISPONIBILIDADES DOS PROGRAMAS CONTIDOS NESTE SITE DA ADVENTURE CLUB ESTÃO SUJEITOS A ALTERAÇÕES. (30)

Inclui:
– Pensão completa (salvo exceções)
– Hotéis
Lake Murray Lodge
Karawari river (Sepik Area) – Karawari Lodge
Mount Hagen – Highlander Hotel
Port Moresby – Airways Hotel
Sepik – Sepik Spirit

– Tours guia falando inglês
– Translados regulares