Curiosidades

Ruínas de Machu Picchu – Curiosidades e História da Cidade Perdida dos Incas

jul, 26

Mundialmente conhecida como a cidade perdida dos Incas, as ruínas de Machu Picchu são as principais atrações turísticas do Peru. Conhecer o local significa entrar em contato com a história de uma civilização espiritualmente riquíssima em um dos pontos turísticos mais belos do mundo. Com mais de 2.400 metros de altitude, Machu Picchu surpreende os turistas por sua beleza e importância.

ruínas de Machu Picchu

flickr.com / Pedro Szekely Conhecida como a “cidade perdida dos Incas”, Machu Picchu é a principal atração turística do Peru.

Hoje, é possível visitar apenas 30% do que um dia foram as ruínas de Machu Picchu. Desde a descoberta da cidade pelo arqueólogo Hiram Bingham, em 1911, muito do legado Inca foi deteriorado pelo tempo. Toda porção que foi preservada pode ser visitada atualmente, e garante a Machu Picchu o título de Patrimônio Mundial da UNESCO.

As atrações mais procuradas em Machu Picchu são o relógio de sol — feito de pedras e localizado no ponto mais elevado da cidade — e a Tumba Real, onde foram encontradas algumas múmias logo nos primeiros dias de exploração de Bingham. Seja pelo lado espiritual, ou turístico, viajar para as ruínas de Machu Picchu é inesquecível.

Curiosidades sobre as ruínas de Machu Picchu

Muito se fala sobre a descoberta de Machu Picchu pelos espanhóis, porém, a cidade perdida dos Incas foi oficialmente encontrada em 1911 — muitos anos após a colonização espanhola. Os Incas escolheram o local para construir sua cidade sagrada por duas razões: primeiro porque as montanhas e o povo que ali vivia eram considerados sagrados, e, também, porque a altitude fazia com que a região fosse perfeita para estudos astronômicos.

A cidade de Machu Picchu, que significa Velho Pico, era tão avançada que, em 1911, as construções dali eram mais resistentes contra terremotos do que as cidades contemporâneas que os espanhóis ergueram no território peruano. O grau de inclinação e as pedras utilizadas nas casas são os fatores responsáveis por esta façanha.

Outro ponto interessante é que os Incas acreditavam, desde aquela época, que as pedras possuíam energias especiais (fato conhecido hoje em dia). Essa é a razão de toda a cidade ter sido construída com pedras e ficar conhecida como as ruínas de Machu Picchu.

ruínas de Machu Picchu

flickr.com / Ana12321 Com título de Patrimônio Mundial da Unesco, a cidade de Machu Picchu conta com sistema de drenagem subterrânea completo e moderno.

Para se ter uma ideia de quão avançada era Machu Picchu, a cidade contava com terraços e aquedutos para conduzir a água, com sistema de drenagem subterrânea de fazer inveja à muitas cidades atuais.

Hoje em dia, a visitação é limitada a 1.500 pessoas por dia. A cidade perdida dos Incas fica aberta ao público durante todo o ano, mas os períodos de maior procura são os solstícios de verão e inverno.

Como chegar até Machu Picchu

A cidade mais próxima de Machu Picchu é Cusco.  Entretanto, não há voos diretos do Brasil até lá e, por isso, é necessário ir primeiro para a capital peruana, Lima. De avião, a viagem entre Lima e Cusco dura uma hora. De ônibus, pode chegar até um dia inteiro de viagem.

Após Cusco, a próxima parada é o vilarejo de Águas Calientes. O percurso pode ser feito de ônibus ou de trem, e a distância é de quase 100km. No vilarejo, há hotéis e restaurantes para o visitante passar uma eventual noite. Vale a pena pesquisar bem e programar um descanso antes de encarar a parada final.

De Águas Calientes até Machu Picchu são aproximadamente 20 minutos dentro de um micro-ônibus. Embora essa seja a única maneira de se chegar até Machu Picchu, existem diversos veículos que fazem o trajeto, e o turista não precisa esperar muito tempo até chegar ao destino desejado.

Confira nossos pacotes de viagens para Machu Picchu e vá conhecer toda a riqueza, história e beleza dessa cidade bem de perto!

Comentários

Deixe seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *